Nossa viagem começou numa quarta-feira, dia de movimento tranqüilo no Aeroporto Internacional Hercílio Luz, em Florianópolis. A viagem foi até Berlim, com conexões em São Paulo e Frankfurt, sendo o primeiro voo com a TAM e os outros dois com a Lufthansa.

Compramos a passagem pelo site da Lufthansa. Depois de muita pesquisa, foi onde encontramos os melhores preços e horários. Pela opção “Multi-City” foi possível montar a ida e a volta com múltiplos trechos. Dessa forma a ida ficou Floripa-Guarulhos-Frankfurt-Berlim e a volta Budapeste-Frankfurt-Guarulhos-Floripa, tudo por 1200 dolares (2800 reais) e numa tacada só, pois no site da Lufthansa não da pra parcelar!

Ainda em Floripa, fizemos o check-in no balcão da TAM e recebemos o cartão de embarque. Se é que dá pra chamar aquilo de cartão, pois parece mais um cupom fiscal do mercadinho da esquina, de tão simples e frágil que é o papel. Não dava pra acreditar que iríamos fazer uma conexão na Europa com um papel daqueles.

Tudo pronto para a partida, embarque finalizado e o Airbus A319 se dirige até a cabeceira da pista para decolar. Ainda parado, as turbinas começam a acelerar. De repente começa um barulho muito forte em uma delas seguido de um grande susto… o avião gira para a esquerda ficando completamente atravessado de lado na pista e por muito pouco não vai parar na grama!!

Todos os passageiros ficam muito assustados e eu já comecei a pensar no pior… que o avião não iria decolar, que iríamos perder a conexão para Frankfurt e que nada ia dar certo. Cerca de um minuto depois, o avião liga novamente e retorna ao começo da pista para nova tentativa. O piloto pede desculpas pelo ocorrido e avisa que “uma das turbinas acelerou mais que a outra” e que agora já estava tudo OK pois ele já tinha feito todos os testes de checagem das turbinas. Eu não tenho medo de avião, mas confesso que neste dia fiquei com um pouco de medo, principalmente durante a segunda tentativa de decolagem… as mãos suavam sem parar! Mas o voo foi rápido e calmo. Mesmo assim só ficamos tranqüilos quando o avião pousou em Guarulhos as 14h55, no horário programado.

Tivemos que sair no saguão do aeroporto e ir até o balcão de check-in da Lufthansa, só para pegar um selo de “embarque internacional” da Infraero para poder entrar na sala de embarque novamente. Coisas de Brasil né! O voo para Frankfurt era as 18h25. Até que a conexão não foi tão longa, as 3h passaram rápido. Por volta das 17h30 o 747-400 ja estava encostando no portão.

Boeing 747-400 da Lufthansa no Aeroporto de Guarulhos
747-400 chegando no portão de embarque em Guarulhos

 

O 747-400 da Lufthansa tem capacidade para 330 pessoas, sendo 16 na primeira classe, que ocupa todo o andar superior, 80 na executiva e 234 na econômica. A empresa opera este tipo de aeronave desde 1998. O avião, apesar de ser antigo, estava em bom estado de conservação. A poltrona não era tão confortável e também não reclinava muito, mas estamos falando de classe econômica, então não da pra exigir muito. O sistema de entretenimento era com aqueles televisores acoplados no teto, nada de tela individual em cada poltrona. Fiquei meio decepcionado, pois achei que teria o sistema de audio-video-on-demand.

O vôo foi bem tranquilo e a equipe de comissários foi bem atenciosa. Na janta foi servido carne ou massa e um pudim de leite muito bom. No café da manhã um omelete mediano, com pão, geléia e queijo. Durante a viagem passou 3 filmes, entre eles Shrek 4, mas não vi nenhum porque dormi.

Saímos de Guarulhos com uns 40 minutos de atraso, pois tivemos que esperar passageiros da TAM vindo de outras conexões para nosso voo. A viagem durou 11 horas e chegamos em Frankfurt. A viagem estava prevista para 10h50, teriamos uma hora para pegar o voo até Berlim que partia as 11h50. Mas por causa do atraso na saída, acabamos chegando em Frankfurt as 11h10 e não deu tempo de pegar a conexão programada.

O aeroporto de Frankfurt é ENORME. É o terceiro maior em tráfego de passageiros na Europa (atrás do Charles de Gaulle, em Paris, e Heathrow, em Londres) e está entre os 10 maiores do mundo. Em 2009 foi o 9º. Possui 2 terminais. O terminal 1 contém as áreas A, B e C, com 103 portões de embarque, sendo 54 fingers, enquanto o  terminal 2 abriga as áreas D e E, com mais 42 portões e 8 fingers. Possui três pistas e a quarta já está em construção. Além disso um dos terminais está fase de ampliação para receber os Airbus A380 e há planos para construir um terminal 3. O aeroporto de Frankfurt é o principal hub da Lufthansa.

Saímos do avião ja sabendo que iríamos perder a conexão. Caminhamos muito até chegar na parte principal do aeroporto para fazer a imigração. Entrei na fila de europeus, porque o Jeff tem passaporte italiano e poderia levar uma pessoa junto. Ele só teve o passaporte checado enquanto eu tive que responder algumas perguntas básicas. O agente só queria saber quantos dias eu iria ficar na europa, quais cidades iria visitar e o motivo da minha viagem. Não durou 3 minutos, foi muito tranqüilo. Acho que eu tenho sorte com imigração. Quando viajei para a Europa em 2007 entrei por Madri, onde muitos brasileiros costumam ter problemas. Lá o cara sequer olhou na minha cara, só abriu o passaporte e carimbou numa pagina qualquer. Não deu nem tempo de dizer “buenos dias”.

Depois da imigração fomos até um balcão de atendimento de conexões da Lufthansa para saber como ficaria nosso voo. Quando apresentamos os cartões de embarque amarelos em papel térmico da TAM, a funcionária fez cara feia. Mas daí quando buscou no sistema e viu que nossa reserva era Lufthansa, ela ficou bem mais receptiva. Fez umas duas ligações, falou coisas em alemão que eu não faço idéia do que eram e rapidamente imprimiu nosso novo cartão de embarque. Imprimiu até os e-tickets, tanto da ida quanto da volta. Aquilo sim é que dava pra chamar de cartão de embarque.

Ela nos realocou num voo que sairia as 13h, apenas uma hora depois do voo original. A Lufthansa tem voos quase que de hora em hora entre Frankfurt e Berlin-Tegel, tipo a ponte aérea Rio-São Paulo. É a rota mais movimentada do aeroporto. Em 2009 foram quase 800 mil passageiros só nesta rota, operada também pela Air Berlin. Fomos direto para o portão de embarque… até chegar nele ia ser mais uma caminhada longa.

O tempo de vôo até Berlim foi de uma hora…

Aviões da Lufthansa no Aeroproto de Frankfurt
Lufthansa dominando o aeroporto de Frankfurt

Posts Relacionados:
O Aeroporto de Berlim-Tegel
Roteiro de 5 dias em Berlim
Dicas de Restaurantes em Berlim
Dicas de Compras em Berlim: lojas de departamento, outlets e shoppings
Dica de Hotel em Berlim – Holiday Inn Express Berlin City Centre West

Confira outros post sobre aeroportos:
A Localização das Companhias Aéreas nos Terminais do Aeroporto de Guarulhos
Conexão longa em Guarulhos: O que fazer para passar o tempo?
O Aeroporto de Santiago e transfer para o hotel com a Transvip
O Aeroporto de Budapeste e Transfer para o Hotel
O Aeroporto de Praga e Transfer para o Hotel
O Terminal 5 do Aeroporto de Heathrow, em Londres
O Aeroporto de Joanesburgo e o Gautrain, o trem de alta v

Veja também outros relatos de companhias aéreas:
Voando com a Pluna para o Uruguai, de Porto Alegre a Montevidéu
Voando com a TAM de São Paulo a Santiago do Chile
Voando com a South African Airways de São Paulo a Joanesburgo
Voar com a Lufthansa para a Alemanha e o Aeroporto de Frankfurt
elocidade da África do Sul
O Aeroporto Internacional da Cidade do Cabo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...