Depois de cinco dias em Berlim e quatro dias em Londres, a próxima etapa da Eurotrip foram quatro dias em Praga. Cheguei na cidade com as melhores expectativas possíveis, pois todos me diziam ser uma cidade encantadora, charmosa, romântica e linda. Realmente ela é tudo isso sim, mas confesso que fiquei um pouco frustado. Gostei da cidade, mas foi abaixo das minhas expectativas. Talvez por ainda estar impressionado com as duas mega-cidades que visitei antes. Ou talvez por ter ficado mais encantado pela cidade seguinte, Budapeste, que foi uma grande e bela surpresa. Ao longo deste e dos próximos posts vou dar dicas e relatar minhas impressões sobre a cidade.

Bem-vindo à Praha

 

 

Com pouco mais de 1,2 milhão de habitantes, Praha, como é conhecida no idioma local, é a capital e maior cidade da República Checa. Construída às margens do Rio Vltava e com um imponente castelo no topo de uma colina, é uma cidade que impressiona pela estilo antigo e medieval, com um centro histórico dominado por torres, campanários e cúpulas. Não é à toa que a cidade é conhecida como “cidade das cem cúpulas”. É um verdadeiro museu a céu aberto, com mais de 10 mil obras de arte e objetos protegidos.

Cidade Velha

 


Até o início da década de 90, a economia da cidade era predominantemente industrial. Foi a partir dessa época que o mundo começou a descobrir uma cidade até então ignorada. A mentalidade dos habitantes, que antes eram aversos à invasão estrangeira, mudou completamente com o desenvolvimento do turismo, que atualmente é a base da economia, atraindo todos os anos milhões de turistas do mundo inteiro. A cidade tem se especializado cada vez mais para recebê-los bem. No geral, o povo checo é muito simpático e hospitaleiro, sempre tentando deixar o turista bem à vontade.

A melhor épocapara se visitar a cidade é durante a primavera ou início do verão europeu, quando a maioria dos turistas ainda não chegaram na cidade. Entre maio e setembro as ruas ficam dominadas, o centro da cidade as vezes pode parecer um formigueiro humano, os restaurantes estão sempre cheios e as atrações turísticas também. Apesar disso, é difícil encontrar grandes filas nos locais de visitação. Nessa época as temperaturas costumam ser altas e os dias costumam ser longos, permitindo aproveitar por mais tempo o passeio. Mesmo assim, Praga é uma cidade para ser admirada tanto de dia quando a noite, quando os monumentos iluminados deixam a cidade ainda mais charmosa.

Ponte Carlos com o castelo de Praga ao fundo

 

Vai adquirir um seguro de viagem?
Faça sua cotação e compre com a Mondial Assistance

 

A melhor forma de explorar a cidade é a pé, pois o centro histórico é bem compacto. Porém mesmo sendo uma cidade pequena, Praga possui de um sistema de transporte público desenvolvido e muito eficiente, com a integração de metrôs, bondes, ônibus e trens. São três linhas de metrô: A (verde), B (amarela) e C (vermelha), que convergem dos subúrbios para o centro, permitindo diversas conexões inclusive com a rede de Trams (bondes), que também é muito bem servida, com linhas que cruzam a cidade inteira. Uma das mais conhecidas é de nº 22/23, que faz um belo passeio ligando o centro da cidade ao Castelo de Praga. Também integrado à rede de transporte público está o lanovka, o funicular (bondinho) que sobe ao topo da Colina Petřín, a partir da estação Újezd, na cidade baixa.

Os tickets podem ser utilizados para qualquer tipo de transporte, permitindo inclusive a conexão entre modais diferentes. Uma passagem com validade de 30 minutos para um adulto custa 24 coroas tchecas, o equivalente à aproximadamante R$ 2,20. Para 90 minutos de validade, o valor é de 32 coroas, aprox. R$ 2,90. Há ainda a possibilidade de comprar a passagem para um dia inteiro (110 czk / R$ 10,00) ou para três dias seguidos (310 czk / R$ 28,00). Para acessar as estações de metrô ou entrar nos bondes não há qualquer tipo de catraca ou pessoa para receber os tickets, porém é necessário antes valida-los com um carimbo de data e hora nas em máquinas disponíveis nas estações ou bondes. Mantenha sempre sua passagem em mãos e não tente dar uma de esperto, pois a qualquer momento pode surgir um fiscal solicitando a conferência de seu ticket. Nos 4 dias que estive lá, fui solicitado apenas uma vez pelo ticket. Porém todo cuidado é pouco!

Bonde / Tram

 

Estação de metrô

 

 

A moeda local é a Coroa Checa (Koruna Česká). As moedas são de 1, 2, 5, 10, 20 e 50 coroas, enquanto as notas são de 20, 50, 100, 200, 500, 1.000, 2.000 e 5.000 coroas. Apesar de a República Checa ser membro da União Européia desde 2004, o país ainda não adotou o Euro como moeda. Com a cotação de hoje (julho de 2011), um real equivale a 10,81 coroas checas. Sendo assim, 100 coroas checas correspondem a R$ 9,25. Para quem está acostumado a utilizar dólares e euros em viagens e já converte automaticamente os valores para o real, pode ser um pouco difícil acostumar-se com uma moeda tão diferente. Para fazer uma conversão rápida par a nossa moeda, é só dividir o valor em coroas checas por 10. O valor correto em real vai ser um pouco abaixo desse resultado. Exemplo: 520 coroas checas dividido por 10 é igual a aproximadamente R$ 52,00, um pouco acima do valor correto que é R$ 48,00. Há casas de câmbio espalhadas por toda a cidade e o preço pode variar bastante de uma para outra. Evite as casas de câmbio no aeroporto, estações de trem/metrô e em lugares muito turísticos. Prefira as casas mais escondidas, em galerias ou ruas pouco movimentadas.



O idioma local é o checo (Čeština ou Český jazyk), idioma que faz parte do subgrupo ocidental das línguas eslavas, juntamente com o polonês (polaco), o eslovaco e o sórbio. É uma língua completamente estranha, com acentos e símbolos diferentes do nosso português, impossível de falar e/ou entender. Entretanto a cidade é bem servida de informações em outras línguas, principalmente inglês, francês e italiano, como nos cardápios de restaurantes e placas de informações turísticas. Nem todos os garçons, atendentes de lojas ou taxistas falam inglês fluente, mas acho que a maioria consegue entender pelo menos as palavras mais comuns.

Entendeu?

 

Curiosidades:
– Em 2002 ocorreu a pior enchente de todos os tempos na cidade, quando o nível do Rio Vltava subiu excessivamente, deixando vários bairros inteiramente submersos, inclusive boa parte do centro histórico. Milhares de pessoas tiveram que abandonar a cidade, causando prejuízo de bilhões de coroas checas. O metrô ficou sete meses fechado, pois todas suas galerias estavam inundadas.
– Praga é uma locação muito popular para produções cinematográficas internacionais, tanto de Hollywood quanto Bollywood. A combinação de sua arquitetura antiga, com o baixo custo da mão-de-obra e uma forte infraestrutura cinematográfica local existente (a indústria de cinema local é bem desenvolvida) fez com que diversos filmes fossem filmados na cidade, como “Missão Impossível”, “A Identidade Bourne”, “Triplo XXX”, entre vários outros. O mais curioso é que nem sempre a história do filme se passa propriamente na cidade, fazendo com que os cenários de Praga pertençam outras cidades na ficção. Uma cena de “Casino Royale”, de 2006, foi filmada no aeroporto de Praga, mas na história do filme o personagem estava teoricamente no aeroporto de Miami!


Posts Relacionados:
Roteiro de 3 dias em Praga
Onde se hospedar em Praga: dicas de hotéis
Praga – Staré Město, a Cidade Velha
Praga – Hradčany e Malá Strana, O Distrito do Castelo e a Cidade Baixa
Praga – Nové Město, a Cidade Nova
O Aeroporto de Praga e Transfer para o Hotel
Dica de Hotel em Praga – Clarion Hotel Prague City
Dicas de Restaurantes e Compras em Praga
Karlovy Lázně, a balada de cinco andares em Praga

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...