Cape Town é uma parada obrigatória para quem pensa em viajar para a África do Sul. A cidade é maravilhosa e lembra o Rio de Janeiro em muitos aspectos, com uma geografia muito peculiar e uma beleza natural indescritível. Não é à toa que ela é a cidade mais visitada do continente africano. Turistas do mundo inteiro vão em busca de belas praias, grandes montanhas e paisagens maravilhosas. A cidade também oferece bons restaurantes, várias opções de lazer e compras e uma vida cultural muito rica.

Nesse post apresento uma sugestão de roteiro de 5 dias em Cape Town, que é o numero de dias que eu considero ideal para conhecer tudo de bom que a cidade tem para oferecer. Para quem pretende ficar menos tempo, recomendo fazer pelo menos as atrações listadas nos dias 1, 2 e 5 deste roteiro. Visitar a Table Mountain, dirigir pela Champan’s Peak Drive, conhecer o Cabo da Boa Esperança e a região dos vinhos de Stellenbosch são passeios imperdíveis e que proporcionam paisagens maravilhosas e inesquecíveis! A melhor forma de conhecer bem a cidade é alugando um carro, já que muitas atrações estão distantes da região central.

Bondinho da Table Mountain

 

Para complementar o roteiro, recomendo a leitura do post “África do Sul – Impressões gerais de Joanesburgo e Cidade do Cabo“, onde apresento uma visão geral da cidade e falo sobre a moeda local, idioma, fuso horário, clima, a vacina da febre amarela, e outras informações importantes para quem pensa em visitar o país.

Se você vai visitar outras cidades na África do Sul, veja também as dicas de Joanesburgo:
– Roteiro de 3 dias em Joanesburgo
– O aeroporto de Joanesburgo e o Gautrain, o trem de alta velocidade da África do Sul
– Conexão em Joanesburgo: o que fazer em poucas horas ou em um dia?

 

Procurando hotel na Cidade do Cabo? Pesquise e reserve no Booking.com

Se você pretende alugar um carro, compare os preços e faça sua reserva no portal RentalCars.

E você já fez o seu seguro de viagem para visitar a África do Sul?
Em parceria com Mondial Assistance, o blog oferecer aos leitores do site um desconto de 15% na compra de seguros de viagem. Clique aqui saber como efetuar a compra e pegar o seu código do cupom de desconto.

 

Dia 1
O primeiro dia em Cape Town começa com uma visita ao principal cartão postal da cidade, a Table Mountain, uma grande montanha com topo achatado, localizada na região central e facilmente visível de boa parte da cidade. Ela está a poucos minutos do centro, com acesso pela rodovia M62 e pela Tafelberg Road. O caminho é de fácil acesso e muito bem sinalizado. Pode-se subir a pé através de trilhas de forma gratuita, ou pelo bondinho ao custo de 195 rands ida e volta. Lá em cima é permitido caminhar livremente pelo topo da montanha e curtir o visual incrível que se tem de toda a Península do Cabo dos mais variados ângulos. 

É preciso ter um pouco de sorte para conseguir visitar a montanha, pois dependendo das condições climáticas o bondinho não funciona. A região costuma sofrer com fortes ventos durante o ano inteiro e as vezes as nuvens resolvem estacionar sobre a montanha, prejudicando a visibilidade e impedindo a visita. Quando passei seis dias na cidade, a Table Mountain só esteve aberta para visitação durante dois dias e meio. Por isso sugiro visita-la na primeira oportunidade possível! Informações mais detalhadas e várias  fotos da montanha podem ser encontradas no post “Cidade do Cabo – Table Mountain, a Montanha da Mesa“.

A Table Mountain ao fundo

 

O visual lá de cima

 

A próxima parada é a praia de Camps Bay, que fica a poucos minutos da Table Mountain e com acesso pela continuação da M62, através da Camps Bay Drive. É uma das praias mais badaladas da região, com diversos restaurantes, hotéis e mansões. É também uma das mais bonitas, pois está cercada de grandes montanhas, como a Lion’s Head à direita e a cadeia montanhosa Twelve Apostles ao fundo. Camps Bay é um ótimo lugar para almoçar, curtir a praia e também o agito noturno, principalmente no verão.

Continuando pela rodovia M6 (Victoria Road) em direção ao centro da cidade, chega-se à Clifton Beach, uma praia menor que Camps Bay, mas tão badalada quanto. Ela está dividida em quatro partes, chamadas Clifton 1, 2, 3 e 4, que estão uma do lado da outra e são divididas por porções de pedras. Cada uma das praias possui suas características próprias no que se refere ao público que as frequentam. Ao longo da estrada há alguns bolsões de estacionamento e placas indicando o caminho de acesso às praias.

Camps Bay

 

Clifton

 

Depois de curtir um pouco das praias, a próxima parada é Sea Point, um dos maiores e mais populosos bairros da cidade. Apesar de estar na beira do mar, as praias de Sea Point não possuem uma faixa de areia tão grande. Ao longo de toda a orla há um grande calçadão e áreas de gramado, onde muitas pessoas praticam esportes e levam as crianças para brincar. O bairro é um ótimo local para ficar hospedado, pois possui vida própria e está a poucos minutos do centro da cidade e das melhores praias.

O passeio do primeiro dia termina no bairro Green Point, que é uma continuação de Sea Point. Nele encontra-se o Cape Town Stadium, o estádio de futebol da Cidade do Cabo na Copa do Mundo de 2010, que pode ser acessado através da Vlei Road. Não consegui descobrir se há um jeito de visita-lo sem ser em dias de jogos. Mesmo assim vale a pena ir até ele para bater umas fotos, pois o estádio é muito bonito. Mais informações sobre as praias de Camps Bay e Clifton, o bairro Sea Point e o estádio de futebol de Green Point podem ser encontrados no post “Cidade do Cabo – As praias de Camps Bay e Clifton, Sea Point e o estádio em Green Point“.

Sea Point

 

Green Point Stadium

 

VeA Waterfront



Dia 2
O segundo dia deve começar bem cedo, pois a viagem vai ser longa e várias atrações serão visitadas. A primeira parada é a praia de Hout Bay, localizada num vale rodeado de montanhas, que formam um cenário maravilhoso. A melhor maneira de chegar lá, partindo do centro da cidade, é ir em direção à praia de Camps Bay pelas rodovias M6 ou M62 e depois continuar na direção sul pela M6. Há várias placas ao longo da estrada indicando o caminho. Em Hout Bay um bom local para curtir o visual é na zona portuária, que fica no canto direito da praia. Há um grande estacionamento em frente ao Mariner’s Wharf, um pequeno centro comercial com alguns restaurantes e lojas, bem na entrada do Hout Bay Harbour. No local há um grande pier que avança no mar e tem acesso liberado. É um ótimo lugar para bater fotos.

O passeio segue pela Chapman’s Peak Drive, uma rodovia que tem início no costão esquerdo de Hout Bay e que passa ao redor das montanhas que servem de cenário para a praia. Ao longo do caminho sinuoso e de faixas estreitas na encosta da montanha, há alguns mirantes para estacionar o veículo e curtir o visual panorâmico lá do alto, quase na beira de um abismo. Dirigir pela Chapman’s Peak Drive é uma experiência única e imperdível! No post “Cidade do Cabo – Hout Bay, a estrada Champan’s Peak Drive e pinguins em Boulders” há mais detalhes sobre Hout Bay e muitas fotos da estrada na montanha.

Pier de Houy Bay

 

Chapman’s Peak Drive

 

Hout Bay vista a partir da rodovia

 

A próxima parada é numa das principais atrações da Península do Cabo, o famoso Cabo da Boa Esperança, que fica numa área também conhecida como Cape Point. É preciso percorrer mais de 30 km após sair da estrada na montanha, num caminho pelas rodovias M6 e M4, até chegar na entrada do Table Mountain National Park, o parque onde está localizado Cape Point. Ao longo do caminho já da ter uma noção das belas paisagens da região. A entrada no parque custa 80 rands e recomendo pegar um mapa para se guiar, porque a área é muito extensa.

Em Cape Point há duas atrações principais a serem visitadas: a famosa placa do Cabo da Boa Esperança, que está localizada na beira da praia; e o farol, que fica no ponto extremo da Península do Cabo. Para acessa-lo é preciso subir uma montanha a pé ou através de um trem funicular. Lá do alto a vista é incrível! Informações completas sobre o passeio em Cape Point podem ser encontradas no post “Cidade do Cabo – O Cabo da Boa Esperança e Babuínos na estrada“.

Chegando em Cape Point

 

O Cabo da Boa Esperança

 

O farol de Cape Point

 

O ponto extremo da Península do Cabo

 

Ao sair de Cape Point, no caminho de volta para o centro da cidade, através da rodovia M4, podem ser feitas duas paradas. A primeira é em Boulders Beach, uma pequena praia na costa leste ao sul da Península do Cabo, muito famosa por ser o local que os pinguins africanos escolheram para ser sua colônia reprodutiva. A observação dos pinguins pode ser feita na beira da praia, com acesso pago, ou por uma passarela no meio da mata, de forma gratuita. Mais detalhes na parte final do post “Cidade do Cabo – Hout Bay, a estrada Champan’s Peak Drive e pinguins em Boulders“.

A segunda parada é na região de vinhos de Constantia, mais especificamente na vinícola Groot Constantia, a mais antiga da região, que se encontra numa área considerada “o berço do vinho sul-africano”. Lá o visitante pode fazer um tour pelo processo de produção e no final uma degustação de vinhos, com o acompanhamento de um guia que dá informações bem detalhadas e interessantes. O último tour começa as 16h, então é bom se programar para tentar chegar lá antes deste horário, saindo de Boulders no máximo as 15h20, para dar tempo de encontrar a vinícola sem pressa. No post “Cidade do Cabo – Degustação de vinhos na vinícola Groot Constantia” eu mostro como foi a minha visita ao local.

Pinguim em Boulders

 

Vinícola Groot Constantia

 

Está gostando do roteiro?
Compartilhe-o com sues amigos nas redes sociais
utilizando os botões coloridos no canto esquerdo da tela

 

Dia 3

A principal atração do terceiro dia em Cape Town é uma visita à Robben Island, a ilha-prisão onde o ex-presidente Nelson Mandela passou muitos anos preso, considerada um Patrimônio Mundial pela UNESCO. Para acessa-la deve-se pegar um barco no Nelson Mandela Gatewaylocalizado no coração do VeA Waterfront, ao lado do prédio Clock Tower. Lá está a bilheteria e também um pequeno museu, que pode ser visitado enquanto se aguarda a saída do próximo barco. 


Na ilha a visita ocorre em duas etapas. A primeira é um passeio de ônibus ao redor da ilha, onde um guia explica todos os detalhes sobre cada local, como a igreja, o hospital, o cemitério, a escola e as prisões. A segunda etapa é um passeio pelo interior de uma das prisões, guiado por um ex-presidiário que relata aos visitantes tudo que acontecia no dia-a-dia da prisão. 
O passeio tem uma duração total de 4 horas. São 3 horas na ilha, meia hora para ir e meia hora para voltar. Os barcos partem do Waterfront as 9h, 11h e 13h. Recomendo tentar pegar o passeio das 9h, que retorna as 13h, para ter o resto da tarde livre para outros passeios. Durante a alta temporada é necessário comprar o ingresso com antecedência, visto que este é um passeio muito procurado e tem sua capacidade diária limitada. Mais informações sobre a Robben Island podem ser encontradas no post “Cidade do Cabo – Robben Island, o Jardim Botânico e pôr do sol em Signal Hill“.

O barco para a Robben Island

 

Chegando na ilha

 

No interior de uma prisão

 

Voltando para a cidade, o resto da tarde pode ser aproveitado com um passeio pelo Victoria & Alfred Waterfront, um grande complexo localizado junto à zona portuária da Cidade do Cabo que reúne restaurantes, cafés, hotéis, condomínios residenciais, prédios comerciais, marina, estaleiro, lojas, museus e áreas de lazer e entretenimento. O Waterfront é a atração turística mais visitada do continente africano! Entre as principais atrações que podem ser visitadas durante a tarde estão o Two Oceans Aquarium, o shopping Victoria Wharf e o mercado de artesanatos VeA Craft Market. No post “Cidade do Cabo – Waterfront e o pôr do sol em Green Point” há mais detalhes sobre o local.

Uma boa opção para terminar o terceiro dia é observar o pôr-do-sol a partir Signal Hilluma colina localizada na região central, bem próxima das montanhas Lion’s Head e Table Mountain. Para chegar nela, é preciso seguir o mesmo caminho que se faz para chegar na Table Mountain, entrar na rotatória e seguir pela Signal Hill Road até chegar no estacionamento junto ao mirante. As fotos da vista panorâmica podem ser encontradas no final do post Cidade do Cabo – Robben Island, o Jardim Botânico e pôr do sol em Signal Hill“.

VeA Waterfront

 

Pôr-do-sol em Signal Hill

 

Dia 4

No quarto dia em Cape Town minha sugestão é fazer um longo passeio a pé pelo centro da cidade, começando pelo Castle of Good Hope, o principal museu da cidade, localizado no edifício mais antigo da África do Sul, um antigo forte construído pelos holandeses em 1679. A área do museu abriga uma grande coleção mostrando como era o estilo de vida dos colonizadores da colônia do Cabo, com dezenas de pinturas, artes decorativas, mobiliário, prataria, louças e muitos outros objetos utilizados antigamente.

Entre os outros museus localizados no centro da cidade estão o District Six Museum, o SA Museum e também a South African National Art Gallery, a galeria nacional sul-africana, que pode ser acessada após uma caminhada pelo Company’s Gardens, um grande jardim que tem início na esquina da Wale Street com a Adderley Street.

Uma das principais ruas do centro da Cidade do Cabo é a Long Street, conhecida pelo comércio popular e também pelo agito de seus bares e restaurantes. Próximo à ela está o Greenmarket Square, um mercado popular de rua, com várias barracas espalhadas pela praça, vendendo basicamente artesanato local, como pinturas, esculturas, ovos de avestruz pintados, entre outras coisas. Outra rua de comércio bem conhecida é a Kloof Stret, uma continuação da Long Street. O passeio pelo centro da cidade pode terminar com uma volta pelo bairro Bo-Kaap, que pertence à comunidade muçulmana e é famoso pelas suas casinhas coloridas. Mais detalhes sobre o centro de Cape Town podem ser encontrados no post “Cidade do Cabo – Os Museus e o Centro da cidade“.

Entrada do Castle of Good Hope

 

Long Street

 

Bo-Kaap

 

Outra atração que pode ser visitada neste dia é Kirstenbosch National Botanical Garden, considerado um dos maiores jardins botânicos do mundo. Ele está localizado a aproximadamente 15 km do centro da cidade, na encosta leste da Table Mountain. No local são cultivadas mais de 7000 espécies, incluindo plantas raras e ameaçadas e espécies de todas as regiões da África do Sul. Também é possível encontrar várias espécies de aves e pequenos mamíferos. A visita ao Kirstenbosch é bem agradável e uma boa opção para relaxar e curtir o fim de tarde. O local é bem calmo e o visual que se tem ao pé da montanha é muito bonito. Mais informações e fotos podem ser vistas ao longo do post “Cidade do Cabo – Robben Island, o Jardim Botânico e pôr do sol em Signal Hill“.

Jardim Botânico Kirstenbosch

 



Dia 5

O quinto e último dia desse roteiro é um passeio em Stellenbosch, uma cidade fundada pelos holandeses em 1679 e considerada a maior região produtora de vinhos da África do Sul. Ela está localizada a 40 minutos do centro da Cidade do Cabo, num caminho de 50 km pela rodovia N2, a mesma que leva ao aeroporto internacional, que está bem no meio do caminho entre as duas cidades. Uma boa ideia é dormir na cidade neste último dia, sem precisar dirigir de volta para Cape Town sob o efeito do álcool após ter visitado algumas vinícolas da região. Recomendo muito este passeio, é um programa interessante e com paisagens muito bonitas.

São mais de 400 vinícolas só em Stellenbosch, dos mais variados tipos e tamanhos, de pequenas e coloniais a grandes e bem desenvolvidas. Na maioria delas pode-se fazer degustação de vinhos e em algumas é permitido conhecer o processo de produção. Entre tantas opções fica difícil escolher quais visitar, por isso é interessante fazer uma boa pesquisa antes da viagem e selecionar algumas. Eu indico a Neethlingshof Wine Estate, que além de oferecer a degustação e o tour na produção, ainda possui um ótimo restaurante e uma bela vista panorâmica de toda a região. A outra que eu visitei foi a Stellenzicht Vineyards, que oferece apenas degustação de vinhos. Meu relato sobre Stellenbosch pode ser encontrado no post “Cidade do Cabo – As vinícolas de Stellenbosch“.

Add caption

 

A vinícola Neethlingshof


Para finalizar, segue um mapa que eu fiz com a localização de todas as atrações citadas neste roteiro, incluindo as dicas de restaurantes e compras que eu dei em posts anteriores. Após o mapa há uma lista de links com tudo que já foi publicado sobre a Cidade do Cabo aqui no blog.


Visualizar Cidade do Cabo – Roteiro em um mapa maior

 


Cidade do Cabo – Waterfront e o pôr do sol em Green Point

Cidade do Cabo – Table Mountain, a Montanha da Mesa
Cidade do Cabo – As praias de Camps Bay e Clifton, Sea Point e o estádio em Green Point
Cidade do Cabo – Hout Bay, a estrada Champan’s Peak Drive e pinguins em Boulders
Cidade do Cabo – O Cabo da Boa Esperança e Babuínos na estrada
Cidade do Cabo – Degustação de vinhos na vinícola Groot Constantia
Cidade do Cabo – Robben Island, o Jardim Botânico e pôr do sol em Signal Hill
Cidade do Cabo – Os Museus e o Centro da cidade
Cidade do Cabo – As vinícolas de Stellenbosch
Dicas de Compras na Cidade do Cabo
Dicas de Restaurantes na Cidade do Cabo
Dica de Hotel na Cidade do Cabo – Hilton Cape Town City Centre
O Aeroporto Internacional da Cidade do Cabo
Alugando um Carro e Dirigindo na Mão Inglesa na Cidade do Cabo

Veja também:
Roteiro de 3 dias em Joanesburgo
África do Sul – Impressões gerais de Joanesburgo e Cidade do Cabo

 

 

 

Faça parte da comunidade “Meus Roteiros de Viagem”
Acompanhe o blog nas redes sociais FacebookTwitter e Google+
Siga o perfil @meusroteirosdeviagem no Instagram
e marque suas fotos com a hashtag #meusroteirosdeviagem

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...