No primeiro dia de passeios em Santiago, a parte da tarde foi dedicada a uma longa caminhada pelo centro da cidade, onde diversas atrações históricas e interessantes estão localizadas, como museus, igrejas e edifícios do governo. Nesse post vou mostrar como foi a visita a alguns destes locais: o Museu Nacional de Bellas Artes, o Mercado Central, a Plaza de Armas e a Catedral Metropolitana.

Plaza de Armas - Santiago
Prédios antigos e modernos na Plaza de Armas

 

O passeio pelo centro teve início depois de uma pausa para descanso e almoço, após ter visitado algumas atrações no bairro Bellavista na parte da manhã, como eu relatei no post “Santiago – Cerro San Cristóbal e o Museu La Chascona“. Numa caminhada de aproximadamente 1 km, atravessamos de volta o Rio Maipo e chegamos ao primeiro museu.

O Museu Nacional de Bellas Artes está localizado num edifício antigo e muito imponente junto ao Parque Florestal,  esquina das ruas Ismael Valdés Vergara e José Miguel de La Barra,  próximo à estação de metrô Bellas Artes – L5. Seu acervo possui mais de 3 mil itens, entre pinturas e esculturas de artistas chilenos e europeus. Apesar de ser interessante, com pinturas bonitas e esculturas perfeitas, não é um local de visita obrigatória. Acabei visitando ele pois era caminho para as outras atrações.

O museu funciona de terça a domingo, das 10h às 18h50. A entrada custa $600 CLP (aprox. R$2,40). Mochilas e bolsas devem ser deixadas num guarda-volumes que há dentro do museu. As fotografias não são permitidas nos salões de exibição, apenas no salão central, onde estão localizadas diversas esculturas.

Rio Maipo - Santiago
Atravessando o Rio Maipo

 

Museu Nacional de Bellas Artes - Santiago, Chile
Museu Nacional de Bellas Artes

 

Salão principal do museu

 


Museu Nacional de Bellas Artes - Santiago, Chile
Museu Nacional de Bellas Artes

 

Atrás do Museu Nacional de Bellas Artes está o Museu de Arte Contemporânea, com um acervo de 2 mil itens, entre pinturas, esculturas e gravuras. Tem o mesmo preço do museu de Belas Artes e funciona de terça à sábado, das 11h às 19h e domingo até as 18h. Não visitei este museu, por isso não sei dizer se vale a pena! O jardim, pelo menos, é muito bonito e vale uma foto.

Museu de Arte Contemporânea - Santiago, Chile
Museu de Arte Contemporânea

 

Caminhando mais uns 700 metros chegamos ao Mercado Central, o principal local para a compra de peixes e frutos do mar na cidade. Ele está localizado na rua San Pablo 967, próximo à estação de metrô Puente Cal y Canto – L2. Além das peixarias há lojas e barracas que também vendem frutas, verduras, bebidas, ervas, queijos e salgados, entre outros.

Nas alas laterais do mercado estão as peixarias e alguns pequenos restaurantes. No vão central estão os retaurantes maiores e mais bem estruturados, que são o lugar ideal para se provara o centolla, um caranguejo gigante que é um dos pratos típicos do Chile e também um dos mais caros. Achei que eu fosse encontrar diversos desses caranguejos enormes expostos nas peixarias chamando a atenção dos clientes, mas só encontrei dois deles, médios, dentro de uma espécie de vitrine dos restaurantes, como pode ser visto numa das fotos abaixo.

Eu particularmente não gostei muito do Mercado Central. Achei um local bem sujo e fedido. Até pensei que poderia comer alguma coisa num dos restaurantes, mas não consegui ficar muito tempo lá dentro. Além disso, os garçons são chatos e abordam insistentemente todos que passam, oferecendo os cardápios e convidando os visitantes para entrar nos estabelecimentos.

Mercado Central de Santiago
Mercado Central de Santiago

 

Peixes no Mercado Central de Santiago

Uma das alas laterais

 

Mercado Central de Santiago
Vão central do Mercado

 

Peixes no Mercado Central de Santiago

Centolla no Mercado Central de Santiago
Centolla na vitrine de um restaurante

 


Está gostando das dicas?
Compartilhe-as com sues amigos nas redes sociais
utilizando os botões coloridos no canto esquerdo da tela

 

Antes de viajar eu tinha lido que esta área do centro da cidade é muito perigosa, com muitos batedores de carteira praticando assaltos rápidos, principalmente a turistas. Eu não me senti em perigo em nenhum momento, mas tomei todos os cuidados possíveis, evitando deixar carteira, celular e máquina fotográfica à mostra.

Rua do centro de Santiago, próxima ao Mercado Central

 

Saindo do mercado e caminhando pela 21 de Mayo, encontramos a Igreja de Santo Domingo, na esquina da rua que leva o mesmo nome. Foi curioso observar que, as 13h30, a igreja estava cheia, mesmo não tendo nenhuma missa ou celebração acontecendo naquele momento. Essa é uma característica do povo chileno, uma nação muito religiosa e conservadora, predominantemente católica.

Igreja de Santo Domingo - Santiago, Chile
Igreja de Santo Domingo

 

Continuando o passeio chegamos à Plaza de Armas, a principal praça de Santiago, considerada o marco zero da cidade e o ponto central da capital chilena. Foi ali que, em 1541, o conquistador espanhol Pedro de Valdívia fundou a cidade de Santiago. Originalmente ela chamava-se Plaza Mayor, mas depois que os índios destruiram-na em apenas seis meses, foi rebatizada para o nome atual.

A praça possui uma grande quantidade de árvores e diversas esculturas, estátuas e monumentos. Ela é rodeada por diversas construções históricas, como a Catedral, o prédio dos Correios e o Museu Histórico Nacional. Entre eles há um grande prédio comercial com faixada de vidro. O contraste formado entre estilo moderno e a arquitetura neoclássica forma um dos principais cartões postais de Santiago. Sob a praça está a estação de metrô Plaza de Armas – L5.

Plaza de Armas - Santiago, Chile
Plaza de Armas

 

Plaza de Armas - Santiago, Chile

Plaza de Armas - Santiago, Chile

Mapas antigos da cidade no chão da praça

 

Plaza de Armas

 

Plaza de Armas - Santiago, Chile
Construções antigas e modernas misturadas

Plaza de Armas - Santiago, Chile

A principal construção da Plaza de Armas é a Catedral Metropolitana de Santiago, construída em 1748. Ela é a quinta edificação feita no local. Antes dela já existiram outras quatro igrejas, que foram derrubadas pelos índios ou pelas forças da natureza, já que duas delas caíram em virtude de fortes terremotos que aconteceram na cidade.

A catedral possui uma riqueza de detalhes difícil de descrever. Para qualquer canto que se olhe, há alguma coisa interessante para observar e fotografar, seja no vão central ou nas naves laterais. São diversas estátuas e imagens de santos, lustres, vitrais e objetos de prata e ouro. Um lugar muito bonito e interessante que merece ser visitado com bastante calma.

Catedral Metropolitana de Santiago - Chile
Catedral Metropolitana de Santiago

 

Catedral Metropolitana de Santiago - Chile
Parte central da Catedral

 

Catedral Metropolitana de Santiago - Chile
Nave lateral direita

 

Catedral Metropolitana de Santiago - Chile
Santa Teresa dos Andes

 

Catedral Metropolitana de Santiago - Chile
Catedral Metropolitana de Santiago - Chile
Catedral Metropolitana de Santiago - Chile

Depois de visitar a catedral passamos pela Paseo Ahumada, a principal rua de comércio do centro de Santiago. Ao longo dela há diversas unidades das lojas de departamento Ripley e Falabella, as duas melhores. Mais informações sobre compras podem ser conferidas no post “Dicas de Compras em Santiago: shoppings, outlets e lojas de departamento“. Também passamos pela Rua Agustinas e Moneda, onde há várias casas de câmbio com boas cotações, sobre as quais eu já falei no post “Casas de Câmbio em Santiago e o Peso Chileno“.

Paseo Ahumada - Santiago, Chile
Paseo Ahumada

 

Uma atração localizada no centro de Santiago, rua Bandera 361, e que eu infelizmente não tive a oportunidade de conhecer por estar fechado para reforma é o Museu de Arte Precolombina, que dizem ser o melhor museu da cidade. Em seu acervo estão diversos itens dos povos astecas, incas e maias, como esculturas, cerâmicas, pinturas e outros objetos. Há ainda uma grande coleção de múmias chincorro que pertencem a um antigo povoado que habitava o norte do Chile e sul do Peru, onde todos os cidadãos podia ser mumificados. A visita a este museu ficou para uma próxima viagem a Santiago, quando talvez já esteja reaberto para visitação.

O passeio pelo centro ainda não terminou. Nesta tarde visitamos também outras duas grandes atrações: o Palácio de La Moneda, sede do governo chileno (veja o post “Santiago – Tour no Palacio de La Moneda, a sede do governo chileno“); e o Cerro Santa Lucía, um morro localizado na região de Santiago que possui uma bela vista panorâmica da cidade, tendo como fundo do cenário a grandiosa Cordilheira dos Andes. Veja as fotos no post ” Santiago – Cerro Santa Lucía e o mirante para a Cordilheira dos Andes “.

Para finalizar este post, segue um mapa indicando a localização das atrações mencionadas e o caminho percorrido no passeio pelo centro de Santiago…


Visualizar Centro de Santiago em um mapa maior

Posts Relacionados:
Roteiro de 3 dias em Santiago do Chile
Santiago – Degustação de Vinhos na Vinícola Concha y Toro
Valle Nevado Ski Resort: a maior estação de esqui da América do Sul
Um Passeio em Valparaíso – Chile
Uma tarde em Viña del Mar – Chile
Os Táxis e e Metrô de Santiago: Preços e Mapa
Vale a pena fazer passeios em Santiago com uma empresa de turismo local?
O Aeroporto de Santiago e transfer para o hotel com a Transvip
Dicas de Restaurantes em Santiago

 

Faça parte da comunidade “Meus Roteiros de Viagem”
Acompanhe o blog nas redes sociais FacebookTwitter e Google+
Siga o perfil @meusroteirosdeviagem no Instagram
e marque suas fotos com a hashtag #meusroteirosdeviagem

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...