No terceiro dia de passeios em Santiago pegamos a estrada rumo ao litoral, para visitar duas cidades próximas, porém muito distintas, localizadas à aproximadamente 120 km da capital. A primeira delas, no período da manhã, foi a cidade portuária de Valparaíso, uma das mais antigas do Chile e que possui uma área histórica considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. Neste post vou mostrar como foi a visita a algumas das principais atrações da cidade.

Valparaíso - Chile
Valparaíso

 

Veja também:
Roteiro de 3 dias em Santiago do Chile
Onde se hospedar em Santiago: dicas de hotéis
Alugando um carro em Santiago e dirigindo pelas montanhas e estradas do Chile

 

Você já tem um seguro de viagem para visitar o Chile?
Clique aqui e saiba como comprar o seu com 15% de desconto!

 

Valparaíso foi fundada em 1544 pelo espanhol Pedro de Valdívia. Atualmente possui cerca de 300 mil habitantes e é a Capital Legislativa da República do Chile. Uma de suas características mais marcantes é a geografia repleta de morros na beira do mar. Ao todo são 42 morros e colinas, que os chilenos chamam de cerros. Para ajudar a população e os visitantes a subirem as ladeiras inclinadas, há 15 elevadores, ou ascensores, espalhados pela cidade. Quem chega em Valparaíso pela primeira vez pode se assustar com a altura dos morros e com a aparência desorganizada da cidade. Mas aos poucos se acostuma e pode até se encantar com a cidade.

Rodovia 68 - Chile
Rodovia 68

 

Há três maneiras chegar em Valparaíso, partindo de Santiago. A primeira é pegando um ônibus de linha, como os das empresas Pullman e Turbus, que partem do terminal rodoviário Alameda. Outra forma é comprando o passeio com agências de turismo locais, como a Turistik e a Turistour, que cobram em torno de $32.000 CLP, aproximadamente R$132,00 por pessoa, num pacote que inclui também a visita a Viña del Mar. Eu cogitei utilizar esse método para o meu passeio, mas acabei desistindo. Os motivos podem ser encontrados no post Vale a pena fazer passeios em Santiago com uma empresa de turismo local?“. 

Acabei escolhendo a terceira alternativa, que foi dirigir até a cidade com um carro alugado. Assim pude fazer o passeio no meu ritmo, visitando as atrações da minha preferência sem depender de ônibus nem de outras pessoas. A viagem entre Santiago e Valparaíso teve duração de 1h30 e o caminho é pela rodovia 68. A estrada é muito boa, duplicada, com velocidade máxima variando entre 80 e 120, dependendo do trecho. Há dois pedágios no caminho, que custam $ 2.300 CLP  (R$9,20) cada.

Logo na saída de Santiago a estrada passa por um túnel bem grande, com 3 km de extensão. O caminho também passa pelo Valle de Casablanca, uma das principais regiões produtoras de vinho do Chile, com várias vinícolas na beira da rodovia que podem ser visitadas. Nessa região pegamos uma neblina meio chata por um bom tempo, mas nada que deixasse a estrada perigosa. A rodovia termina bem no centro de Valparaíso e pouco antes de entrar na cidade ja é possível ver os morros muito altos cheios de casas.

Entrada do túnel a caminho de Valparaíso
Entrada do túnel a caminho de Valparaíso

 

Nevoeiro no Valle de Casablanca
Nevoeiro no Valle de Casablanca

 

Av. Errázuriz - Valparaíso
Av. Errázuriz – Valparaíso

 

Chegando na cidade, viramos à esquerda na Av. Brasil e depois passamos para a Av. Errázuriz, costeando o mar até o canto esquerdo da cidade, onde está localizado o porto. Estacionamos o carro num terreno que serve como estacionamento privado, na esquina da Cochrane com a Márquez, que custou $1.500 CLP (R$6,00) pelo período que ficamos, aproximadamente 1h30.

A primeira atração visitada foi o Ascensor Artilleria, um elevador que faz a ligação entre a Plaza Wellright, na estação baixa, e o Paseo 21 de Mayo, na estação alta. Inaugurado em 1893, ele percorre uma distância de 175 metros, numa inclinação de 30 graus, atingindo 80 metros de altura. São dois vagões, cada um com capacidade para 25 pessoas, que se revezam no trajeto. Enquanto um sobe, outro desce ao mesmo tempo.

Cada trecho custa $300 CLP (R$1,20). O curioso é que o pagamento é feito somente na estação superior. Você sobe e só paga lá em cima, antes de passar na catraca de saída. Não faz muito sentido! Ambas as estações são bem jogadas, mal cuidadas, e os vagões, que são de madeira, também são precários e parece que vão quebrar a qualquer momento.

Ascensor Artilleria - Valparaíso
Ascensor Artilleria

Elevador Artilleria - Valparaíso

Fiz um vídeo durante a subida que dá pra ouvir os barulhos estranhos que o elevador faz…

 

Está gostando das dicas? 
Compartilhe-as com seus amigos nas redes sociais
utilizando os botões coloridos no canto esquerdo da tela.

 

Lá em cima está o Paseo 21 de Mayo, o principal mirante da cidade, com uma bela vista panorâmica de toda a cidade, tendo à sua frente o porto de Valparaíso. Nesse dia o tempo estava bem cinza, com um nevoeiro chato e por isso as fotos deste post não ficaram tão bonitas. Junto ao mirante há uma feirinha com várias barracas de artesanato.

Paseo 21 de Mayo - Valparaíso
Paseo 21 de Mayo

 

Porto de Valparaíso
Porto de Valparaíso

 

Vista panorâmica de Valparaíso do mirante do Paseo 21 de Mayo
Vista panorâmica do mirante

 

Junto ao Paseo está o Museo Naval y Maritimo, ou Museu Marítimo Nacional, que retrata a história chilena, com enfoque principalmente nas grandes navegações, incluindo a Guerra do Pacífico, com direito a diversas réplicas perfeitas das antigas embarcações. A coleção conta ainda com muitas obras de arte, objetos antigos, bustos, vitrais, bandeiras e mapas. Os salões são bem amplos e o museu é muito bem cuidado. O ingresso custa $700 CLP (R$2,80) para adultos e $300 CLP (R$1,20) para crianças. O horário de funcionamento é de terça à sábado, das 10h às 17h30. É permitido tirar fotos no interior, sem a utilização do flash.

Escada de acesso ao museu

 

Entrada do Museu Marítimo Nacional - Valparaíso, Chile
Entrada do Museu Marítimo Nacional

 

Vitrais no Museo Naval y Maritimo - Valparaiso
Vitrais

 

Réplicas de embarcações no Museo Naval y Maritimo - Valparaiso
Réplicas de embarcações

 



Salão do Museo Naval y Maritimo - Valparaiso

 

No centro do museu há um grande pátio e nele se encontra a mais nova atração, acrescentada ao acervo há poucos meses. Trata-se da cápsula Fênix, utilizada no histórico resgate dos mineiros chilenos, um episódio que comoveu o mundo no ano de 2011. Junto à ela há alguns murais contando todos os detalhes do resgate e também estão expostos alguns objetos utilizados, como uniformes e óculos de proteção.Encontrar a cápsula foi uma grande surpresa, eu tinha lido algumas coisas sobre o museu antes da viagem, mas nada sobre a presença dela. O Museu Naval y Marítimo já era uma atração interessante de se conhecer por causa do seu rico acervo, mas agora, com esta nova adição, tornou-se uma atração imperdível em Valparaíso.

E antes que alguém pergunte… sim, é possível entrar na cápsula apertada para bater fotos à vontade!

Pátio do Museo Naval y Maritimo - Valparaíso
Pátio do museu

 

Cápsula Fênix - Museu Naval y Marítimo de Valparaíso
Cápsula Fênix

 

Depois de visitar o Museu, ao invés de pegarmos o elevador para descer, resolvemos ir a pé pelas ruas e escadarias estreitas do morro, para ver as casa coloridas e sentir um pouco do clima da cidade. Há quem diga que Valparaíso parece uma grande  favela, por causa dos seus morros bem altos e dominados por casas amontoadas. Até parece, mas é o estilo de vida deles. Praticamente toda a população vive nas casas espalhados pelos 42 morros.

Caminhando pelo centro da cidade encontramos dois fatos curiosos: uma bandinha, talvez da marinha, tocando no meio da rua; e várias pessoas de branco, que pensamos ser funcionários de alguma indústria de peixes, mas que na verdade eram cidadãos voluntários que estavam ajudando a pintar a cidade, para dar uma aparência menos suja, já que quase 100% das paredes e muros da região central possuem algum tipo de pichação. Se fosse bem cuidada, Valparaíso poderia ser uma cidade bem bonita. Mas ela é suja e fedida, parece que foi abandonada, por isso tem um aspecto tão feio. Mas mesmo assim visita-la é um programa interessante e diferente. Eu gostei.

Rua de Valparaíso, Chile
Casas de Valparaíso, Chile

Voluntários pintando a cidade

 

A próxima parada foi a Plaza Sotomayor, a maior praça da cidade que possui diversas construções históricas. O que mais chama atenção na praça é o Monumento a los Héroes de Iquique, em homenagem aos mártires que participação do Combate Naval de Iquique. Abaixo do monumento há um mausoléu onde foram enterrados os corpos de alguns combatentes.Num edifício em frente ao monumento há uma casa de câmbio onde eu encontrei uma das melhores cotações da viagem. Mais detalhes podem ser encontrados no post “Casas de Câmbio em Santiago e o Peso Chileno“.

Plaza Sotomayor - Valparaíso, Chile
Plaza Sotomayor

 

Monumento a los Héroes de Iquique - Valparaíso, Chile
Monumento a los Héroes de Iquique

 

Monumento a los Héroes de Iquique - Valparaíso, Chile

Saindo da praça fomos visitar o Museu La Sebastiana, a casa do poeta Pablo Neruda em Valparaíso, localizada na rua Ricardo de Ferrari 692. Para chegar lá foi um sacrifício, pois o nosso GPS ficou completamente perdido nas ladeiras da cidade, sem saber indicar o caminho exato. Nessa brincadeira perdemos pelo menos uns 20 minutos. Para facilitar, aqui vai uma dica: encontre a avenida  Colón, uma via paralela às avenidas Brasil e Pedro Montt, e siga até o final dela, nas proximidades da Plaza Victoria. Quando ela terminar, basta virar à esquerda numa pequena subida para entrar na Ferrari. Explicando assim pode parecer confuso, mas acompanhando no mapa não tem erro! A Ferrari é uma ladeira estreita e muito, mas muito íngreme. Alguns carros podem ter dificuldade de subi-la. Lá no alto há uma pracinha, várias barracas de artesanato e logo depois o museu.

Rua Ricardo de Ferradi - Valparaíso, Chile
Rua Ricardo de Ferrari

 

Portão de entrada do Museu La Sebastiana - Valparaíso, Chile
Portão de entrada

 

Loja e bilheteria do Museu La Sebastiana - Valparaíso, Chile
Loja e bilheteria

 

Museu La Sebastiana - Valparaíso, Chile
Café

 

A La Sebastiana é uma das atrações mais interessantes de Valparaíso. Na entrada há um pequeno café e uma loja, onde está a bilheteria. Na área externa ainda há um centro de informações turísticas e um mirante com vista panorâmica para a cidade. O ingresso custa $3.000 CLP (R$12,00) e o museu funciona de terça à domingo, das 10h10 às 18h (de março a dezembro), e das 10h30 às 18h20 (janeiro e fevereiro).

A visita acontece com o auxílio de um áudio-guia, com a opção de idioma em português. Segurando o aparelho como se fosse um telefone, o visitante vai caminhando pela casa e digitando os códigos de cada ambiente para ouvir a explicação. A casa tem 5 andares e é rica em detalhes, com os objetos originais utilizados pelo poeta. Todos os ambientes são visitados, como a sala de estar, a sala de jantar, o bar do poeta, o dormitório, o banheiro e o escritório de Pablo Neruda. Ao longo das explicações é possível ouvir diversos poemas de sua autoria. Não é permitido bater fotos do interior da casa, apenas da vista que se tem a partir de suas janelas. Mochilas e bolsas devem ficar num guarda-volumes do lado de fora.

Museu La Sebastiana - Valparaíso, Chile
La Sebastiana

 

Vista das janelas da casa Museu La Sebastiana - Valparaíso, Chile
Vista das janelas da casa

 

A última atração visitada em Valparaíso foi o Muelle Baron, um antigo pier, localizado próximo à zona portuária. O local possui dois guindastes desativados e ainda é utilizado por embarcações de pequeno porte e também como palco para algumas festas e eventos. Há um estacionamento próximo e o acesso é feito passando por debaixo do elevando no início da Av. España, que faz a ligação com a cidade de Viña del Mar.

Muelle Baron - Valparaíso, Chile
Muelle Baron

 

Muelle Baron - Valparaíso, Chile


Muelle Baron - Valparaíso, Chile

Muelle Baron - Valparaíso, Chile

 

Para finalizar, segue um mapa com a localização das atrações de Valparaíso citadas neste post…


Visualizar Valparaíso em um mapa maior

 

O passeio nesse dia ainda continuou com uma visita à cidade de Viña del Mar, que pode ser conferida no post “Uma tarde em Viña del Mar – Chile“.

 

Posts Relacionados:
Valle Nevado Ski Resort: a maior estação de esqui da América do Sul
Santiago – Cerro San Cristóbal e o Museu La Chascona
Santiago – Cerro Santa Lucía e o mirante para a Cordilheira dos Andes
Santiago – Degustação de Vinhos na Vinícola Concha y Toro
Dicas de Restaurantes em Santiago
Dicas de Compras em Santiago: shoppings, outlets e lojas de departamento

 

Faça parte da comunidade “Meus Roteiros de Viagem”
Acompanhe o blog nas redes sociais FacebookTwitter e Google+
Siga o perfil @meusroteirosdeviagem no Instagram
e marque suas fotos com a hashtag #meusroteirosdeviagem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...