Os táxis em Buenos Aires sempre tiveram a fama de serem baratos e isto continua valendo, é possível fazer longas corridas pagando um preço bem acessível. Outra opção de deslocamento rápido e barato é o metrô, chamado de Subte, que possui cinco linhas ligando o centro da cidade a bairros mais distantes. Apesar de serem práticos e acessíveis, não são 100% seguros, já que há casos de taxistas golpistas e de furtos que ocorrem nas estações e trens. Veja neste post mais informações sobre os dois meios de transporte e dicas de como evitar os principais golpes que podem ocorrer.

Táxis em Buenos Aires

Táxis em Buenos Aires


Veja também:
Onde se hospedar em Buenos Aires: dicas de hotéis
Dicas de Restaurantes em Buenos Aires
Dicas de Compras em Buenos Aires

Você já tem um seguro de viagem para visitar a Argentina?
Clique aqui e saiba como comprar o seu com 15% de desconto!

 

A frota de táxis em Buenos Aires é composta de milhares de veículos e eles são facilmente identificados pelas suas cores preto e amarelo. Os táxis estão em todo lugar e até nas ruas mais desertas surge um táxi quando você menos espera. A maioria deles não possui um ponto fixo e fica circulando pela cidade em busca de passageiros. É possível solicitar a parada de um táxi a qualquer momento, basta acenar para o motorista. Os táxis disponíveis geralmente apresentam um luminoso que fica aceso com a palavra Libre. Quando a luz está apagada, significa que o táxi está ocupado.

Se você estiver em um hotel ou restaurante, pode pedir para alguém do local chamar um radiotaxi, eles tem o mesmo custo de um táxi de rua e assim você evita ter que ficar esperando algum passar. Na hora de informar um endereço ao taxista, procure saber entre quais ruas fica o número desejado, veja antes no mapa para ter certeza. Exemplo: meu hotel era na Av. Corrientes 1334, mas eu falava para o taxista que queria ir para a Corrientes, entre as ruas Uruguay e Talcahuano.

As tarifas do taxímetro operam com duas bandeiras, a tarifa normal e a tarifa noturna. As corridas na tarifa normal iniciam a 10 pesos e o taxímetro aumenta 1 peso a cada 200 metros corridos ou a cada 1 minuto de espera. Já a tarifa noturna, entre 22:00h e 06:00h, inicia a corrida com 12 pesos e aumenta 1,20 pesos a cada 200 metros ou a cada 1 minuto de espera.

Na minha viagem mais recente fiz diversas corridas de táxi partindo do meu hotel, bem próximo ao Obelisco, e para me deslocar entre as atrações turísticas. Anotei os valores de algumas corridas para poder compartilhar aqui no blog:

Obelisco – Restaurante Sucre / Bairro Belgrano = 55 pesos (R$ 17,70)
Obelisco – Caminito = 42 pesos (R$ 12,00)
Caminito – Feirinha de San Telmo = 32 pesos (R$ 9,10)
Puerto Madero – Plaza San Martin = 30 pesos (R$ 8,50)
Palermo – Obelisco = 44 pesos (R$ 12,50)
Obelisco – Livraria Ateneo / Bairro Recoleta = 25 pesos (R$ 7,15)

Os valores foram convertidos para reais utilizando a melhor cotação que encontrei na data da minha viagem, onde encontrei 1 real = 3,50 pesos. Veja mais informações no post “Câmbio em Buenos Aires: qual moeda levar e como trocar pesos argentinos“.

Informações do condutor

Informações do condutor

Informações do veículo

Informações do veículo

 

Antes da minha viagem li muitos relatos em outros sites e blogs de pessoas que sofreram algum tipo de golpe dos taxistas em Buenos Aires. Já viajei para a cidade outras vezes e nunca aconteceu nada comigo, mas os relatos acabaram me deixando um pouco preocupado, pois todas as pessoas falavam que os táxis estão muito perigosos por lá. Bom, se isso serve de consolo para deixar os leitores aqui do blog mais tranquilos, posso afirmar de nesta minha última viagem fiz quase 15 corridas de táxi e não aconteceu absolutamente nada de errado. Mesmo assim vale a pena mencionar alguns golpes comuns e como evita-los.

Ao entrar no veículo, sente no banco de trás e procure pelos cartazes de identificação, que ficam pendurados no banco. Geralmente há duas folhas, uma com os dados do motorista e outra com as informações do veículo. Isso já lhe da uma certa segurança, pois você sabe que o cara é credenciado. Veja se o taxímetro está ligado e se ele vai partir do valor correto (1o ou 12 pesos, dependendo do horário).

O golpe mais comum é o golpe da nota falsa, onde você dá uma nota de 100 pesos e numa rápida troca, sem você perceber, o taxista lhe devolve uma outra nota de 100 pesos falsa afirmando que a nota que você deu é falsificada. Isso pode acontecer tanto com notas de 50 quanto com notas de 100. A nota também pode ser trocada por uma de valor mais baixo, onde você dá uma nota de 100 pesos ao taxista e ele a troca por uma de 10 pesos, dizendo que você lhe deu apenas 10 pesos ao invés de 100, solicitando o valor restante. Já fui vítima desse golpe em Santiago e só percebi ao contar o troco no hotel, a sensação de ser enganado é péssima.

Recomendo que você tenha sempre dinheiro trocado antes de pegar o táxi. Nunca pague as corridas com notas de 50 ou 100 pesos. Tenha sempre notas de 5, 10 e 20 pesos, além de moedas, para tentar pagar o valor exato ou o mais próximo dele. Para conseguir os valores trocados, compre alguma de valor baixo na farmácia ou supermercado, nem que seja uma garrafa de água, pagando com uma nota alta de 50 ou 100 para obter notas baixas como troco.

Na hora de pagar o táxi, não abra sua carteira ou bolsa na frente o taxista, evite contar dinheiro dentro do veículo. De preferência já deixe os trocados num bolso de fácil acesso para pagar rapidamente. Ao pagar, entregue nota por nota ao taxista, contando os valores em voz alta, para que não haja dúvidas do valor que você está lhe entregando. E caso você entregue uma nota de 50 ou 100 pesos (o que eu não recomendo), não tire os olhos da nota, para que ele não a troque sem você perceber. Você pode até bater uma foto nos números de série com o celular antes, como garantia, caso ele troque a nota e diga que ela é falsa você tem como saber qual era a nota que estava com você.

Os golpistas gostam de bater papo e descobrir tudo sobre sua vida. Evite ficar batendo papo com os taxistas e fale apenas o básico. Demonstre que você sabe onde está indo, que já conhece a cidade ou que tem amigos que moram lá. Mas não pense que todos os que fizerem perguntas são golpistas, pois há aqueles que realmente são simpáticos e estão perguntando apenas por gentileza. Na minha última viagem peguei taxistas de todos os tipos, os faltantes, os quietos, os mau humorados, os pilotos de fórmula 1 e os bom motoristas.

Lembre-se sempre de olhar o banco do veículo ao sair, antes de fechar a porta, para ver se não caiu nada dos seus bolsos ou sacolas, como carteira ou celular, pois se você esquecer algo dentro do veículo, sinto muito, mas dificilmente você irá recupera-lo.

Metrô de Buenos Aires

Metrô de Buenos Aires

 

Está gostando das dicas?
Compartilhe-as com seus amigos nas redes sociais
utilizando os botões coloridos no canto esquerdo da tela.

 

 

O metrô de Buenos Aires, conhecido localmente por Subte, é outra forma prática de percorrer longas distâncias pagando um preço baixo. Uma passagem custa apenas 2,50 pesos, o equivalente a R$ 0,70. Ao todo são sei linhas, identificadas por letras e cores. A maioria delas parte da região central da cidade rumo a bairros mais distantes. As estações são subterrâneas e as entradas são sinalizadas com um portal indicando a cor da linha e o nome da estação, como pode ser observado na imagem abaixo. Os tickets são comprados na hora nas bilheterias e inseridos na catraca para liberar a entrada na estação.

É possível visitar muitas atrações da cidade com o metrô. Abaixo listo as linhas e as estações próximas a locais turísticos. Algumas delas possuem o mesmo nome da atração, o que facilita bastante na localização. As atrações da região central da cidade são relativamente próximas e o mais interessante é visita-las a pé. O metrô é mais aconselhado para locais distantes ou para quando você não está afim de caminhar muito.

Linha A – Azul Claro
Plaza de Mayo (Casa Rosada)
Av. de Mayo
Congreso (Congresso)

Linha B – Vermelha
Leandro N. Alem (Puerto Madero)
Florida (Rua Florida)
9 de Julio (Obelisco)
Carlos Gardel (Shopping Abasto)
Malabia (Outlets – 3 a 7 quadras)

Linha C – Azul Escuro
General San Martin (Praça San Martin)
9 de Julio (Obelisco)
San Juan (Plaza Dorego / San Telmo – 5 quadras)

Linha D – Verde
Catedral (Catedral de Buenos Aires e Plaza de Mayo)
9 de Julio (Obelisco)
Tribunales (Teatro Colón)
Callao (Livraria Ateneo Grand Splendid – 4 quadras)
Bulnes (Shopping Alto Palermo)
Plaza Italia (Zoo de Buenos Aires e Jardim Botânico)

Mapa do metrô de Buenos Aires

Mapa do metrô de Buenos Aires

 

O metrô é relativamente seguro, porém assaltos também podem acontecer.  Os batedores de carteira costumam aproveitam os horários de maior movimento e a distração dos passageiros para pegar objetos de fácil acesso, como carteiras e celulares em bolsas abertas ou em bolsos folgados. Cuide bem se suas mochilas, bolsas e sacolas, não abra a carteira dentro do vagão e evite ficar mexendo no telefone celular para não chamar atenção.

Há também um golpe conhecido em que uma pessoa (homem ou mulher, novo ou velho) finge estar passando mal, como se fosse vomitar, causando um agito dentro do trem e fazendo com que as pessoas fiquem espremidas num canto para não serem atingidas pela gorfada. Nessa movimentação os comparsas do golpista aproveitam o aperto e o agito para subtrair algum item de um passageiro descuidado.

 

Entrada da estação de metrô de Buenos Aires

Entrada da estação de metrô

Estação Tribunales - Linha D / Verde

Estação Tribunales – Linha D / Verde

 

Como já falei, nunca tive problema com táxis em Buenos Aires. A maioria dos taxistas são corretos, mas por causa de alguns golpistas que infelizmente existem, a categoria acaba ficando com uma imagem ruim perante os turistas. É uma questão de sorte, ou azar, dependendo do ponto de vista. Também nunca passei por uma situação de risco no Subte, mas é preciso estar atento sempre e tomar todos os cuidados possíveis.

Se você for assaltado ou se sofrer algum golpe, evite reagir ou correr atrás do ladrão para não correr um risco ainda maior. Eu sei que é uma situação péssima, mas não deixe que isso estrague sua viagem. Infelizmente não estamos imunes e isso pode acontecer em qualquer cidade, seja na Argentina, no Brasil ou em qualquer lugar do mundo.

 

Você já sofreu algum tipo de golpe ou assalto em Buenos Aires?
Compartilhe sua experiência com os leitores do blog deixando um comentário no final da pagina. 

 

Posts Relacionados:
O Aeroporto de Buenos Aires Ezeiza, Duty Free e Transfer para o Hotel
Como é o voo da Gol de Florianópolis direto a Buenos Aires
Dica de guia privado que fala português em Buenos Aires
Dicas de Restaurantes em Buenos Aires
Dicas de Compras em Buenos Aires
Dicas de hotéis no Centro de Buenos Aires
Dicas de hotéis em Palermo Soho, Buenos Aires
Dica de hotel em Buenos Aires: Novotel Buenos Aires

 

 

Faça parte da comunidade “Meus Roteiros de Viagem”
Acompanhe o blog nas redes sociais FacebookTwitter e Google+
Siga o perfil @meusroteirosdeviagem no Instagram
e marque suas fotos com a hashtag #meusroteirosdeviagem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...