O terceiro dia em Cape Town foi o mais bem aproveitado, com várias atrações visitadas ao longo do dia. Fizemos tanta coisa nesse dia que decidi dividi-lo em três posts. Nesse primeiro vou falar sobre a praia de Hout Bay, a estrada Champman’s Peak Drive e Boulders – a praia dos pinguins. Na parte 2 eu mostro como foi o passeio em Cape Point e o famoso Cabo da Boa Esperança, além de um encontro inesperado com um grupo de babuínos no meio da estrada. E por fim, na parte 3, eu falo sobre a região de vinhos de Constantia e a degustação de vinhos na visita à vinícola Groot Constantia.

A caminho de Hout Bay, via Camps Bay

 

O dia começou bem cedo pois as atrações programas ficavam bem distantes do centro da cidade. Para chegar em Hout Bay a distância foi de 20 km e depois para chegar até Cape Point ainda tivemos que percorrer outros 35 km. E como algumas estradas eram de mão única e sinuosas, demoramos bastante tempo nos deslocamentos. A melhor maneira de chegar em Hout Bay partindo do centro da cidade é ir em direção à praia de Camps Bay pelas rodovias M6 ou M62 e depois continuar seguindo na direção sul pela M6, que em alguns pontos também é conhecida como Victoria Road.

Hout Bay é um distrito com pouco mais de 25 mil habitantes, localizado num vale rodeado por grandes cadeias montanhosas que formam um cenário maravilhoso. Os holandeses chegaram lá em 1652 em busca de madeira, seguidos pelos franceses e ingleses. O local também já serviu como mina de extração de manganês e atualmente a principal atividade econômica da região é a indústria da pesca, com um movimentado porto.

Há algumas atrações na parte central de Hout Bay, como um museu, um mercado de artesanatos e também um centro de informações para turistas. Mas o maior agito acontece na praia, com um belo visual das montanhas, e também nos arredores da zona portuária. No verão a praia tem se destacado como um dos principais destinos na Península do Cabo.

Nosso ponto de parada foi a região portuária, que fica no canto direito da praia, com acesso pela Northshore Drive. Bem na beira da praia há um grande estacionamento em frente ao “Mariner’s Wharf”, um pequeno centro comercial com alguns restaurantes e lojas, bem na entrada do Hout Bay Harbour. Ali há um pier que avança bastante na água, para proteger os barcos do mar agitado. Foi o local que escolhemos para curtir um pouco do visual e tirar umas fotos. Era inverno e dia de semana, estava tudo muito vazio, não havia praticamente ninguém na praia, apenas alguns poucos se arriscavam a caminhar. Estava frio e nublado, e o vento era extremamente forte, jogando a sensação térmica lá para baixo, provavelmente negativa. Era impossível ficar muito tempo fora do carro, aquele vento gelado nos pegou de surpresa. Fomos até a ponta do pier, tiramos umas fotos rápidas e voltamos logo para o carro. Apesar de ter sido rápido, deu pra ter uma boa noção de como aquele lugar é lindo.

Chegando em Hout Bay

 

Estacionamento vazio

 

Mariner’s Wharf

 

Hout Bay Harbour

 

A praia de Hout Bay

 

Pier de Hout Bay Harbour 

 

A rodovia Chapman’s Peak Drive

 

 

Seguindo em frente nosso próximo destino foi a Chapman’s Peak Drive, a famosa rodovia que passa ao redor das montanhas que servem de cenário para a praia de Hout Bay. Para chegar até ela foi preciso percorrer de volta toda a orla e seguir em direção à montanha pelo lado esquerdo da praia. Para entrar na rodovia é necessário pagar um pedágio de 31 rands por veículo, aproximadamente R$7,75. Dependendo das condições climáticas a rodovia pode estar fechada para o tráfego de veículos.

Com pouco mais de 8 km de extensão e localizada a mais de 500 metros acima do nível do mar, a rodovia faz a ligação entre Hout Bay e o distrito de Noodhoek. É uma via de mão dupla estreita, muito sinuosa e literalmente na beira do abismo, tanto que a circulação de ônibus é proibida na via que está do lado do mar, pelo risco de queda. Em alguns lugares existem redes que protegem a estrada de pedras que podem cair da montanha. Há vários mirantes ao longo do caminho onde é possível parar para curtir a visual de 180 graus que se tem de toda a região de Hout Bay e também do Oceano Atlântico. Paramos em praticamente todos eles, cada um com o visual melhor que o outro.

Dirigir pela Champman’s Peak Drive é uma oportunidade única e foi uma das experiências mais marcantes nessa viagem para a África do Sul. Indico muito fazer este caminho para quem estiver indo de Cape Town em direção a Cape Point e o Cabo da Boa Esperança. É difícil descrever em palavras, mas acho que pelas fotos dá pra ter uma noção do quanto este local é incrível!

Placa indicando que a rodovia está aberta 

 

Pedágio para acessar a estrada na montanha 

 

Chapman’s Peak Drive

 


Hout Bay vista a partir da rodovia

 






Estacionamento / Mirante

 











Fiz dois vídeos desta experiência de dirigir na montanha. O primeiro deles é uma vista panorâmica de Hout Bay feito em uma das paradas. O segundo foi feito enquanto dirigíamos pela montanha.

Depois que saímos da montanha, ainda havia muita estrada pela frente até chegar a Cape Point. O caminho pode ser feito por dois sentidos diferentes: pelo lado oeste através da rodovia M65 ou pela costa leste através da rodovia M4. O GPS nos mandou pela M4 e no caminho passamos pelos distritos de Fish Hoek, Simon’s Town e Boulders. A visita ao Cabo da Boa Esperança, que aconteceu logo em seguida, vai ser assunto do próximo post. Na volta, depois de visitar Cape Point, paramos em Boulders, local que já haviamos passado direto na ida.

Boulders Beach é uma pequena praia na costa leste ao sul da Península do Cabo, muito famosa por ser o local que os pinguins africanos escolheram para ser sua colônia reprodutiva. Há vários deles passeando pela praia e também escondido pelos matos, bem próximos às casas que ficam de frente para o mar. Há duas formas de observar os pingüins: numa plataforma de observação na beira da praia ou numa longa passarela pelo meio do mato.

O acesso à plataforma na beira da praia é feito através do Boulders Visitor Centre (Centro de Visitantes de Boulders). É preciso pagar uma entrada de 40 rands (R$10,00) para ter acesso ao deck. Lá é possível observar os pinguins bem de perto. Há duas bilheterias. A principal é a que está mais próxima ao estacionamento localizado na esquina da Gay Road com a Seaforth Road. O horário de funcionamento varia conforme a época do ano: dezembro e janeiro, das 7h às 19h30; fevereiro e março, das 8h às 18h30; de abril a setembro, das 8h às 17h; e outubro e novembro, das 8h às 18h30.

A outra forma de observar os pinguins é através de uma passarela, que tem início bem em frente ao centro de visitantes. Ela passa pelo meio do mato até chegar na outra ponta da praia. Não é preciso pagar, porém a quantidade de pinguins na área é bem menor do que na praia. Como havia uma certa fila para comprar os bilhetes de acesso à praia, optamos por observar os pinguins na passarela mesmo. É naquela área, debaixo da mata, que os pinguins se escondem para ter seus filhotes. O cheiro não é dos melhores, mas observa-los é bem divertido.



















Uma galinha da Angola na praia dos pinguins!

 

Saímos de Boulders por volta das 15h e ainda havia tempo para visitar mais alguma atração antes do anoitecer. Aproveitamos para passar na região de vinhos de Constantia, que ficava bem no meio do caminho de volta para o centro da cidade. Lá fizemos uma degustação de vinhos na vinícola Groot Constantia. Assunto para um próximo post!
Posts Relacionados:
Roteiro de 5 dias na Cidade do Cabo
Cidade do Cabo – Waterfront e o pôr do sol em Green Point
Cidade do Cabo – Table Mountain, a Montanha da Mesa
Cidade do Cabo – As praias de Camps Bay e Clifton, Sea Point e o estádio em Green Point
Cidade do Cabo – O Cabo da Boa Esperança  e Babuínos na estrada
Cidade do Cabo – Degustação de vinhos na vinícola Groot Constantia
Cidade do Cabo – Robben Island, o Jardim Botânico e pôr do sol em Signal Hill
Cidade do Cabo – As vinícolas de Stellenbosch
Dicas de Compras na Cidade do Cabo
Dicas de Restaurantes na Cidade do Cabo

Veja também outras estradas em montanhas já publicadas no blog…
Valle Nevado Ski Resort: a maior estação de esqui da América do Sul
O Mirante e a Estrada da Serra do Rio do Rastro, na Serra Catarinense

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...