No quarto dia em Cape Town visitamos poucas, mas importantes atrações. O passeio começou pela Robben Island, a ilha onde Nelson Mandela ficou preso durante anos. Depois fomos até o jardim botânico Kirstenbosch e terminamos o dia na colina Signal Hill, que possui um dos melhores pontos de observação do pôr do sol na cidade.

 O barco para a Robben Island

 

 

A Robben Island é uma ilha que durante séculos serviu como local de isolamento, banimento e prisão. Desde 1997 é considerada um Patrimônio Mundial pela UNESCO e funciona basicamente como museu, sendo uma das atrações mais visitadas na Cidade do Cabo. Vários personagens históricos, líderes africanos, soldados e civis foram encarcerados em uma das quatro prisões existentes na ilha, incluindo o ex-presidente Nelson Mandela, que passou 18 de seus 27 anos de prisão na ilha. O local também já serviu como hospital para pessoas com lepra e doenças mentais e como centro de treinamento e defesa durante a Segunda Guerra Mundial.

O ponto de partida para o passeio é o Nelson Mandela Gateway, localizado no coração do VeA Waterfront, ao lado do prédio Clock Tower. Lá está a bilheteria e também um pequeno museu, que pode ser visitado enquanto se aguarda a saída do próximo barco. Os barcos para a ilha partem sempre as 9h, 11h e 13h, se as condições climáticas permitirem, e a duração total do passeio é de quatro horas. O ingresso adulto custa 220 rands (aprox R$55,00) e pode ser comprado no local, ou antecipadamente pela internet. A procura é bem grande por esse passeio e dizem que no verão é preciso comprar com vários dias de antecedência. Como eu fui no inverno, o movimento era menor. Chegamos às 10h30 no local e conseguimos comprar bilhete para a partida das 11h.

O trajeto até a ilha dura em torno de meia hora. Quem chega cedo consegue sentar nas poltronas do andar superior, que são ao ar livre. Há ainda dois andares no interior do barco, com dezenas de poltronas. Muita gente que senta lá em cima acaba descendo logo no início do passeio, pois não aguenta os fortes ventos ou o balanço do barco. No dia em que fomos, o mar estava agitado e com ondas muito altas, por isso o barco balançou bastante. No começo até é divertido, mas depois muitas pessoas acabaram ficando enjoadas. Durante o deslocamento é exibido um documentário sobre a ilha em televisores no interior do barco.

Partindo do Nelson Mandela Gateway

 








Chegando na Robben Island

 

A visita na ilha é dividida em duas etapas: a primeira é um passeio de ônibus ao redor da ilha e a segunda uma visita ao interior de uma das prisões. Logo que o barco chega, os visitantes são direcionados para ônibus que os aguardam. Cada um possui seu próprio guia e fazem trajetos diferentes para evitar o acúmulo de pessoas no mesmo lugar, porém todos visitam os mesmos locais. O passeio de ônibus circula por quase toda a ilha e ao longo do caminho o guia vai explicando a história de cada local. Entre os pontos visitados estão a igreja, o cemitério, o farol do século XIX, a escola, a vila, o hospital, as prisões, entre outros. O ônibus faz duas paradas: a primeira numa casa em frente à igreja, que possui banheiros e uma lanchonete; a segunda na beira da praia, onde é possível avistar de longe a Cidade do Cabo.



















A segunta etapa da visita é um passeio guiado pelo interior da maior das quatro prisões da Robben Island, a prisão de segurança máxima. Os guias são ex-presidiários que viveram anos no local e que hoje trabalham na ilha, contando aos visitantes tudo que acontecia no dia-a-dia da prisão. Entre os locais visitados estão os pátios internos, o refeitório e o corredor da seção B, onde ficava a cela de Nelson Mandela. Ao final, os visitantes saem da prisão e vão a pé direto para o barco. No meio do caminho é possível encontrar alguns pinguins e outros animais.












O passeio na Robben Island é interessante, mas eu diria que não é essencial para quem vai ficar poucos dias na Cidade do Cabo. Só recomendo para quem for ficar 5 dias ou mais na cidade, já que é bem demorado e dependendo do horário da partida pode consumir boa parte do dia. Neste dia, por exemplo, partimos as 11h e chegamos de volta as 15h. Além disso o passeio é um pouco cansativo, os ônibus são apertados e não possuem ar condicionado. Se no inverno já achei quente, no verão pode ser insuportável. O inglês dos guias não é fluente e tem um sotaque carregado. As vezes eles falam tanto e tão rápido que as pessoas acabam se distraindo e não prestam atenção. E se a pessoa não está gostando, é obrigado a seguir o grupo e ficar na ilha até o final do passeio.

Robben Island
Embarque no Nelson Mandela Gateway, VeA Waterfront
Horário: os barcos saem as 9h, 11h e 13h.
Preço adulto: 220 rands (R$55,00)
Site oficial: www.robben-island.org.za/





Segue um vídeo que eu fiz no barco, voltando da Robben Island para a região central de Cape Town…

Depois do passeio na ilha, aproveitamos para almoçar no Waterfront e depois fomos conhecer o  Kirstenbosch, considerado um dos maiores jardins botânicos do mundo. Fundado em 1913, está localizado a aproximadamente 15 km do centro da cidade, na encosta leste da Table Mountain. O jardim cobre 36 hectares de uma terreno com cujo tamanho total é de 528 hectares. No local são cultivadas mais de 7000 espécies, incluindo plantas raras e ameaçadas e espécies de todas as regiões da África do Sul. Também é possível encontrar várias espécies de aves e pequenos mamíferos. O Kirstenbosch oferece passeios guiados, trilhas ecológicas, restaurantes e também uma casa de chás.

Assim como a ilha, o jardim botânico é um passeio bem agradável, porém não é essencial para quem vai ficar pouco tempo na cidade. É uma boa opção para relaxar e curtir o fim de tarde. O local é bem calmo e o visual que se tem ao pé da montanha é muito bonito. Ele pode ser visitado por quem está voltando da cidade de Stellebosch ou da região do Cabo da Boa Esperança, pois fica no caminho antes de chegar no centro da cidade.

Kirstenbosch National Botanical Garden
Rhodes Drive, Newlands, 7700. Cape Town, South Africa
GPS: 8°26’06.48″ E / 33°59’15.76″ S
Horários: De setembro a março, das 8h às 19h. De abril a agosto, das 8h às 18h.
Preço adulto: 40 rands (R$10,00)
Site oficial: ww.sanbi.org






















Para finalizar o dia, voltamos para a cidade e fomos curtir o pôr do sol na Signal Hill, uma colina localizada na região central, bem próxima das montanhas Lion’s Head e Table Mountain. Para chegar nela, é preciso seguir o mesmo caminho que se faz para chegar na Table Mountain, entrar na rotatória de acesso à montanha e pegar a última saída, subindo em direção à colina através da Signal Hill Road. Da rotatória até o mirante a distância é de 3,5 km, a estrada é estreita, sinuosa e na encosta da montanha. No final há um estacionamento junto ao mirante, com flanelinhas para cuidar do carro.

O mirante da colina Signal Hill é um dos melhores locais para se observar o pôr do sol na Cidade do Cabo. É muito frequentado, tanto por turistas quanto por moradores locais. Lá do alto é possível ver todo o centro da cidade, os bairros de Green Point, Sea Point e principalmente o oceano e seu horizonte. É bom se programar para chegar no local bem antes do horário do pôr do sol, para curtir o espetáculo por completo. Um bom site para saber a hora certa do sunset é o TimeAndDate.com. Neste dia infelizmente não conseguimos chegar a tempo para ver o sol desaparecer, mas ainda assim o visual estava muito bonito.

Colina Signal Hill

 
















Posts Relacionados:
Roteiro de 5 dias na Cidade do Cabo
Cidade do Cabo – Waterfront e o pôr do sol em Green Point
Cidade do Cabo – Table Mountain, a Montanha da Mesa
Cidade do Cabo – As praias de Camps Bay e Clifton, Sea Point e o estádio em Green Point
Cidade do Cabo – Hout Bay, a estrada Champan’s Peak Drive e pinguins em Boulders
Cidade do Cabo – O Cabo da Boa Esperança  e Babuínos na estrada
Cidade do Cabo – Degustação de vinhos na vinícola Groot Constantia
Cidade do Cabo – As vinícolas de Stellenbosch
Dicas de Compras na Cidade do Cabo
Dicas de Restaurantes na Cidade do Cabo

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...