Quando viajei para Mendoza dediquei um dia do meu roteiro para visitar as atrações da Cordilheira dos Andes, percorrendo a Ruta Nacional 7 em direção à fronteira da Argentina com o Chile. O ponto alto do passeio, literalmente falando, foi a visita ao monumento Cristo Redentor de Los Andes, que se encontra a 3.848 metros acima do nível do mar, bem na divisa dos dois países. Veja neste post como foi esse passeio gelado nas alturas.

Estátua do Cristo Redentor de Los Andes - Fronteira do Chile com Argentina

Estátua do Cristo Redentor de Los Andes – Fronteira do Chile com Argentina

 

Este artigo faz parte de uma série de posts sobre a Argentina
Clique aqui para acessar o índice com todas as dicas de Buenos Aires e Mendoza

 

Veja também:
Roteiro de 4 dias em Mendoza
Onde se hospedar em Mendoza: dicas de hotéis
As principais vinícolas de Mendoza: dicas para a visitação
Mendoza: Um passeio nas atrações do Centro da cidade

 

Esta visita ao monumento aconteceu durante meu passeio nas montanhas, relatado em detalhes no post “Mendoza: O passeio nas montanhas da Cordilheira dos Andes“. Decidi separar esta etapa em um novo post devido à grande quantidade de fotos e também porque nem sempre quem faz o tour da montanha consegue visitar o Cristo.

Saímos de Mendoza as 9:30h e depois de três horas e meia de viagem, onde só fizemos uma parada para o café em Uspallata, chegamos a Las Cuevas, um pequeno povoado com menos de 50 habitantes bem próximo da fronteira da Argentina com o Chile.

Ali paramos no restaurante “Nido Condores”, onde um amigo do nosso guia já nos esperava com sua camioneta para subirmos a difícil estrada de acesso ao Cristo. Meu guia não quis subir com seu Corolla, um carro mais baixo, por isso conseguiu emprestado esse outro carro maior com seu amigo.

Las Cuevas Mendoza Argentina

Las Cuevas

Arco de Las Cuevas - acesso ao Cristo Redentor de Los Andes Argentina

Ruta Nacional 7 e o acesso à estrada do Cristo Redentor de Los Andes

 

A estrada que dá acesso ao Cristo se inicia às margens da Ruta Nacional 7, junto a uma espécie de portal chamado Arco de Las Cuevas. A partir deste ponto a estrada é de chão batido por todo o percurso montanha acima. Esta era a antiga rota existente entre Mendoza e Santiago antes da construção do Túnel del Cristo Redentor, que surge logo depois para quem continua o caminho pela RN7.

Arco de Las Cuevas - acesso ao Cristo Redentor de Los Andes Argentina

Arco de Las Cuevas – acesso ao Cristo Redentor de Los Andes

 

Quando entramos nessa estrada empoeirada cruzamos com alguns carros com placas do Brasil e com adesivos que indicavam que eles faziam parte da organização do famoso Rally Dakar, que há alguns anos tem acontecido na América do Sul, passando por países como a Argentina, o Chile e a Bolívia.

Início da estrada

Início da estrada

Veículos do Rally Dakar

Veículos do Rally Dakar

 

Você já adquiriu um seguro viagem para visitar a Argentina?
Clique aqui para saber como comprar o seu com 15% de desconto!

 

Logo no início já entendemos porque nosso guia não quis fazer a visita ao Cristo com seu veículo baixo. A estrada até o monumento tem 9 km de chão batido morro acima e só funciona durante o verão, quando não há neve. As curvas são bem fechadas e a largura da pista é bem variável, sendo muito estreita em determinados trechos. Sem falar nos penhascos na beira da estrada, que são assustadores.

Mesmo com toda essa dificuldade, encontramos todos os tipos de carro durante o trajeto, desde carros simples com motor 1.0 (que devem ter sofrido muito pelo caminho) a carros maiores, como camionetes, vans de turismo e até micro-ônibus. Há ainda aqueles que se aventuram a subir a montanha de bicicleta ou até mesmo a pé, fazendo um trekking que demora horas e deve ser muito cansativo.

Curvas das estrada

Curvas das estrada

 

A cada curva que fazíamos o cenário se tornava ainda mais interessante. O tempo estava meio fechado nos arredores de onde estávamos e de longe era possível ver tempestades de neve nos picos das montanhas mais altas.

Cordilheira dos Andes Argentina

Vista para as montanhas

Estrada para o Cristo Redentor de Los Andes - Argentina

Estrada para o Cristo

Estrada para o Cristo Redentor de Los Andes - Argentina

Montanhas da Cordilheira com neve

 

Olhando para cima ainda havia muita estrada pela frente e os carros e ônibus pareciam miniaturas, de tão longe que se encontravam.

Morro da estrada

Morro da estrada

 

E olhando para baixo, a Ruta Nacional 7 e o povoado de Las Cuevas ficavam cada vez mais distantes.

Ruta Nacional 7 vista da estrada para o Cristo - Cordilheira dos Andes, Argentina

Ruta Nacional 7 vista da estrada para o Cristo

 

Aos poucos as curvas iam ficando a para trás…

Estrada para o Cristo Redentor de Los Andes no lado argentino

Estrada para o Cristo Redentor no lado argentino

 

E fomos chegando cada vez mais próximos da altitude onde havia neve acumulada nas montanhas.

Picos nevados na Cordilheira dos Andes - Argentina

Picos nevados na Cordilheira

Picos nevados na Cordilheira dos Andes - Argentina

Zoom na tempestade de neve

 

Ao todo levamos 25 minutos do início da estrada em Las Cuevas até o estacionamento do Cristo. A temperatura no termômetro do carro despencou de 11 graus lá embaixo para 6 graus no topo da montanha, mas o forte vento fazia com que a sensação térmica fosse de temperatura negativa.

Em menos de meia hora saímos de uma altitude de 3.100 metros em Las Cuevas para 3.848 metros acima do nível do mar junto ao Cristo. Essa mudança rápida de altitude traz consequências para nosso organismo. A respiração fica ofegante, o coração bate um pouco mais rápido e não temos tanto fôlego para ficar andando para lá e para cá.

É assustador olhar do alto todo o percurso que fizemos na estrada sinuosa, mas todo esforço físico e psicológico é compensado pelo visual incrível que se tem lá de cima.

Estrada do Cristo Redentor de Los Andes - Cordilheira Argentina

Vista panorâmica do ponto mais alto da estrada

 

Enfim chegamos à famosa estátua do Cristo Redentor de Los Andes, que tem quase sete metros de altura, pesa cerca de quatro toneladas e encontra-se sobre um pedestal com seis metros de altura. Ela foi feita em Buenos Aires pelo escultor argentino Mateo Alonso e levada de trem por cerca de 1.200 km até o povoado de Las Cuevas, para depois ser carregada morro acima no lombo de mulas.

Estátua do Cristo Redentor de Los Andes - Fronteira do Chile com Argentina

Estátua do Cristo Redentor de Los Andes – Fronteira do Chile com Argentina

Detalhes do monumento

Detalhes do monumento

 

Está gostando das dicas?
Compartilhe-as nas redes sociais utilizando os botões no canto esquerdo da tela
ou, caso esteja no celular, utilize a barra inferior para enviar também pelo whatsapp

 

Ao lado da estátua há uma placa falando um pouco de sua história. Ela foi construída por iniciativa do bispo de Cuyo, Fr. Marcolino Benavente, para prestar uma homenagem ao Cristo Redentor logo após a assinatura de um tratado de paz entre Argentina e Chile, o Pacto de Mayo, firmado porque os dois países estavam a ponto de entrar em guerra. Foi decidido colocar a estátua bem na fronteira, no alto do Cerro Santa Elena, como símbolo de união e paz continental.

Mendoza 0550

História do monumennto

 

O frio estava muito mais intenso do que eu havia imaginava e mesmo com uma blusa e um casaco ainda passei frio. Não estava nevando naquele momento na região do Cristo, apenas nas montanhas próximas mais altas, porém encontramos muita neve acumulada no chão ali no ponto onde estávamos.

Passando frio na região do Cristo

Passando frio na região do Cristo

Neve no Cristo Redentor de Los Andes

Neve acumulada na região do Cristo

Morro mais alto na região do Cristo

Morro mais alto na região do Cristo

Tempo fechado na Cordilheira dos Andes - Argentina

Tempo fechado na Cordilheira

Montanhas com neve nos arredores do Cristo Redentor de Los Andes

Montanhas com neve nos arredores do Cristo

 

Olhando para o Cristo, ao lado esquerdo encontramos uma bandeira da Argentina, para simbolar o território argentino, e ao lado direito do monumento encontramos a bandeira do Chile, indicando o território chileno.

Cristo Redentor de Los Andes - Cordilheira dos Andes

Cristo Redentor de Los Andes

Bandeira da Argentina no território argentino

Bandeira da Argentina no território argentino

Bandeira do Chile no território chileno

Bandeira do Chile no território chileno

 

Como falei anteriormente, essa estrada de acesso ao Cristo era a antiga rota entre os dois países. A subida pelo lado chileno tem curvas ainda mais fechadas que as que encontramos do lado argentino. Quem vem do Chile para visitar o monumento encontra o acesso para esta estrada alguns quilômetros após a estação de esqui Portillo.

Estrada Cristo Redentor de Los Andes Chile

Curvas da estrada no lado chileno

 

Depois de alguns minutos curtindo o visual e passando muito frio, pegamos a estrada de volta morro abaixo rumo a Las Cuevas, onde paramos para almoçar, e depois continuamos nosso passeio pela Cordilheira.

Estrada para o Cristo Redentor de Los Andes

Estrada para o Cristo Redentor de Los Andes

Povoado de Las Cuevas, visto da estrada durante a descida

Povoado de Las Cuevas, visto da estrada durante a descida

 

No retorno a Mendoza fizemos paradas em vários pontos turísticos ao longo da estrada, como Parque Provincial do Aconcágua, a Puente del Inca e a estação de esqui Los Penitentes. As fotos e o relato podem ser vistos no post “Mendoza: O passeio nas montanhas da Cordilheira dos Andes“.

Estrada na Cordilheira dos Andes - Mendoza, Argentina

Paisagem da Cordilheira

Puente del Inca - Cordilheira dos Andes, Argentina

Puente del Inca

 

Você já visitou o Cristo Redentor de Los Andes? Pelo lado argentino ou chileno?
Compartilhe sua experiência deixando um comentário no final desta página.

 

 

Acesse o índice de posts com todas as dicas de Mendoza

 

Posts Relacionados:
Dicas de Restaurantes e Compras em Mendoza
Como chegar e circular em Mendoza: o aeroporto e meios de transporte
Como é voar com a Aerolineas Argentinas para Buenos Aires e Mendoza
Mendoza: A visita com degustação de vinhos na Pulenta Estate
Mendoza: Degustação de espumantes e almoço na Bodega Chandon
Mendoza: As vinícolas do Valle de Uco – Andeluna e Salentein
Mendoza: A degustação de vinhos em etapas na Bodega Norton

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...