Mendoza é uma cidade localizada no oeste da Argentina, aos pés da Cordilheira dos Andes, que vem atraindo cada vez mais a atenção dos brasileiros. A região na qual se encontra é responsável por quase 80% da produção de vinhos do país e há mais de cem vinícolas abertas à visitação. Além das bodegas, a cidade ainda oferece muitos outros atrativos, como hotéis luxuosos, boa gastronomia, paisagens incríveis, esportes radicais , estações de esqui, monumentos históricos e eventos típicos da cultura local. Veja nesse post uma sugestão de roteiro de quatro dias em Mendoza e dicas do que ver e fazer caso você tenha menos ou mais tempo para curtir a cidade.

Brasão de Mendoza na Plaza Independencia - Mendoza, Argentina

Brasão da cidade na Plaza Independencia – Mendoza, Argentina

 

Este artigo faz parte de uma série de posts sobre a Argentina
Clique aqui para acessar o índice com todas as dicas de Buenos Aires e Mendoza

 

 

Veja também:
Roteiro de 4 dias em Buenos Aires
Roteiro de 3 dias em Santiago do Chile
Roteiro de 4 dias em Montevidéu

 

Há várias formas de chegar em Mendoza, depende muito de onde você estiver. É possível ir partindo do Brasil de forma direta ou em voos com conexão, mas a visita à cidade geralmente é combinada com uma viagem a Buenos Aires ou Santiago. A distância da capital argentina é de 1200 km, uma viagem de ônibus dura cerca de 13 horas e de avião apenas 1:30h. Já da capital chilena a distância é de 362 km, numa viagem de carro ou ônibus pela Cordilheira que dura pelo menos cinco horas ou então de avião num voo rápido de uma hora. Veja mais detalhes sobre o assunto no post “Como chegar e circular em Mendoza: o aeroporto e meios de transporte“.

Para explorar as atrações locais, como visitar as vinícolas ou as montanhas, pode-se alugar um veículo, contratar os serviços de um guia particular ou de uma agência de turismo ou ainda utilizar algum meio de transporte público local. Veja uma sugestão de agência no post “Dica de agência em Mendoza com guias que falam português“.

Caso tenha a intenção de alugar um veículo, recomendo reservar pelo site RentalCars, que eu utilizei nas minhas últimas viagens e que pertence ao mesmo grupo do site de reserva de hotéis Booking.com. A pesquisa pelo RentalCars apresenta no resultado várias locadoras e tipos de veículos com os respectivos valores de locação, deixando bem especificado a questão dos seguros que estão incluídos no orçamento, evitando surpresas na hora da retirada do veículo. O site é todo em português e bem fácil de utilizar.

Passeio na Cordilheira dos Andes - Mendoza, Argentina

Vista para a Cordilheira dos Andes

 

Em relação à hospedagem, há basicamente duas opções em termos de localização. Você pode ficar em algum hotel convencional do centro da cidade, próximo dos restaurantes e da zona comercial da cidade, ou então se hospedar em um hotel na região das vinícolas, que geralmente são pousadas mais estilosas e privativas, com poucos quartos, muitas delas com seus próprios vinhedos. Conheça as opções no post “Onde se hospedar em Mendoza: dicas de hotéis“.

Mendoza encontra-se numa região de deserto, com clima semiárido, seco e com poucas chuvas. As estações do ano são bem definidas. O verão tem dias quentes e noites amenas. Já no inverno o frio é rigoroso e é comum nevar. A melhor época para viajar é no final do verão, época da colheita, quando as temperaturas estão agradáveis, os vinhedos bem verdes e cheios de uva, mas isto não significa que as outras épocas não sejam boas para viajar. Se você for na última semana de fevereiro ou na primeira de março vai ter a chance de presenciar eventos típicos relacionados à Festa Nacional da Vendimia. Saiba mais sobre esta festa no post “A Mega Degustação de vinhos da Vendimia nas ruas de Mendoza“.

A quantidade de dias para explorar a cidade depende muitos dos passeios que você pretende fazer e do quanto você gosta de vinhos. Em apenas três dias já é possível conhecer o essencial da região, visitando algumas vinícolas, as montanhas e o centro da cidade. Se você gosta de vinhos, recomendo pelo menos quatro dias, para conseguir visitar mais vinícolas em diferentes áreas. Agora se você ama vinhos, fique cinco ou mais dias, para conhecer vinícolas de todos os tipos e tamanhos em todas as regiões de Mendoza. O ideal é visitar uma região de cada vez e escolher no máximo três vinícolas por dia. Descubra quais são as bodegas e onde elas estão localizadas no post “As principais vinícolas de Mendoza: dicas para a visitação“.

Você já fez o seu seguro de viagem para visitar a Argentina?
Em parceria com o Seguros Promo, o blog oferece um desconto na compra do seu seguros de viagem.
Clique aqui para saber como efetuar a compra e pegar o seu código do cupom de desconto.

 

Degustação na vinícola Pulenta Estate - Mendoza, Argentina

Degustação na vinhos na vinícola Pulenta

 

A seguir apresento uma sugestão de roteiro de quatro dias em Mendoza, exatamente igual ao que coloquei em prática quando visitei a cidade durante o carnaval de 2014. No final há um mapa com a localização das principais atrações e também dicas do que fazer caso você tenha menos ou mais tempo para explorar a cidade.

 

Dia da chegada

Caso você chegue em Mendoza no final da tarde ou noite, não vai ter muito tempo para passear. Neste caso recomendo uma caminhada pelo centro da cidade com jantar em algum bom restaurante, para começar bem a viagem. Veja sugestões de onde comer no post “Dicas de Restaurantes e Compras em Mendoza“.

Restaurante Azafrán - Mendoza, Argentina

Adega do restaurante Azafrán

 

Dia 1

Já que a região é uma das maiores produtoras de vinho no mundo, nada melhor que começar a explorar Mendoza pelo que ela tem de melhor, visitando algumas vinícolas. Para este primeiro dia recomendo escolher três vinícolas localizadas nas duas regiões produtoras mais próximas à cidade (Maipú ou Luján de Cuyo). Tome um café bem reforçado no hotel e deixe para almoçar no restaurante da terceira e última vinícola do dia, assim você pode comer com calma, sem ter a pressa de sair correndo para visitar outra bodega depois de almoçar.

Como são dezenas de vinícolas disponíveis em cada região, deixo em aberto a opção de quais você deve escolher para visitar e qual ordem seguir. Em Maipu estão algumas das vinícolas mais antigas e tradicionais de Mendoza, como a Trapiche, a Família Zuccardi e a La Rural. Já em Luján de Cuyo você encontra bodegas bem famosas, como a Catena Zapata, a Luigi Bosca, a Chandon e a Norton. A lista de todas as vinícolas em cada área você encontra neste post.

Se você optar por Luján de Cuyo, recomendo muito a visita à bodega Pulenta Estate. Das cinco vinícolas que visitei em Mendoza, esta foi a que eu mais gostei. A propriedade é linda, com vinhedos enormes e vista para as montanhas da Cordilheira. A visita é bem personalizada, em grupos pequenos, e os vinhos degustados são ótimos. Veja o relato completo da visita a esta vinícola no post “Mendoza: A visita com degustação de vinhos na Pulenta Estate“.

Bodega Pulenta Estate - Mendoza, Argentina

Vinhedos da Pulenta com vista para a Cordilheira dos Andes

 

Outra vinícola também localizada em Luján e que não pode faltar no seu roteiro é a Bodegas Chandon, a filial argentina de um grupo francês que produz alguns dos espumantes mais conhecidos no mundo. Ela diferencia-se das outras bodegas de Mendoza pelo fato de produzir apenas espumantes. A visita inclui um tour pela propriedade, passando por algumas etapas da produção e finalizando com a degustação de diferentes tipos de Chandon. A bodega ainda possui um bom restaurante, onde o almoço é harmonizado com espumantes. Saiba mais sobre a vinícola e o restaurante no post “Mendoza: Degustação de espumantes e almoço na Bodega Chandon“.

Bodegas Chandon - Mendoza, Argentina

Taças pós degustação na Chandon

 

Está gostando das dicas?
Compartilhe-as nas redes sociais utilizando os botões no canto esquerdo da tela
ou, caso esteja no celular, utilize a barra inferior para enviar também pelo whatsapp

 

Dia 2

O segundo dia em é dedicado às atrações da região central da cidade, com um tour pelos principais pontos turísticos de Mendoza. O passeio pode começar com uma boa caminhada pelo centro, explorando suas ruas arborizadas e grandes praças, entre elas a Plaza Independencia, que se encontra no coração da cidade. Nos arredores da praça você pode visitar museus, o mercado municipal e também as ruas de comércio, como a Av. San Martín.

Em seguida visite o Parque General San Martín, um dos maiores parques urbanos da Argentina, que ocupa uma imensa área verde próxima ao centro da cidade. Próximo ao parque está o Cerro de La Glória, um morro com um grande monumento no seu ponto mais alto e que possui uma vista panorâmica para toda a região.

Veja mais detalhes do que você pode visitar nesse tour no post “Mendoza: Um passeio nas atrações do Centro da cidade

Parque General San Martin - Mendoza, Argentina

Parque General San Martin

 

Neste dia, se você quiser, pode deixar para explorar o centro de Mendoza no período da tarde e ocupar sua manhã com alguma outro passeio ou atividade. Entre as possibilidades estão pedalar ou cavalgar entre os vinhedos em alguma vinícola de Maipú, fazer um rafting nas águas do Rio Mendoza, visitar as Termas de Cacheuta ou ainda conhecer a Reserva Natural Villavicencio, cujo relato da visita pode ser lido neste post

Outra opção é fazer esse tour pelo centro logo no primeiro dia, caso você chegue na cidade até umas 13:00h. Neste caso você pode considerar o dia da chegada com o o primeiro dos quatro dias do roteiro.

Fonte na Plaza Independencia - Mendoza, Argentina

Fonte na Plaza Independencia

 

Dia 3

O terceiro dia deste roteiro é dedicado a um grande passeio nas montanhas da Cordilheira dos Andes. É o passeio mais longo e cansativo, mas que certamente será inesquecível pois os cenários vistos pelo caminho são incríveis.

Seja por conta própria ou através de uma agência, os locais visitados neste passeio pelas montanhas são geralmente os mesmos: a represa Potrerillos, o povoado de Uspallata, a estação de esqui Los Penitentes, a Puente del Inca e o Parque Provincial do Aconcágua, de onde é possível avistar o Monte  Aconcágua, o pico mais alto do hemisfério sul.

Não esqueça de levar baterias reservas para sua câmera, pois certamente você vai tirar centenas de fotos. Veja um relato completo de como é este passeio no post “Mendoza: O passeio nas montanhas da Cordilheira dos Andes“.

Represa de Potrerillos - Mendoza, Argentina

Represa de Potrerillos

Passeio nas montanhas da Cordilheira dos Andes - Mendoza, Argentina

Passeio na Cordilheira dos Andes

Puente del Inca - Cordilheira dos Andes, Argentina

Puente del Inca

 

O passeio nas montanhas pode ter uma atração extra caso você decida e consiga subir uma das montanhas da Cordilheira para visitar a estátua do Cristo Redentor de Los Andes, um monumento localizado a 3.848 metros acima do nível do mar, bem na divisa da Argentina com o Chile. Saiba mais sobre esta etapa do passeio no post “Visita ao Cristo Redentor de Los Andes, na fronteira da Argentina com o Chile“.

Cristo Redentor de Los Andes - Cordilheira dos Andes

Cristo Redentor de Los Andes

 

Dia 4

A sugestão para o quarto e último dia é visitar algumas vinícolas no Valle de Uco, uma região produtora de vinhos localizada a cerca de 100 km ao sul da cidade de Mendoza. Ela possui terrenos com altitudes mais elevadas e com isso consegue produzir vinhos de maior qualidade. A lista com as principais vinícolas você encontra no final deste post. Escolha duas ou três e aproveite para almoçar na última delas.

Uma das opções no Valle de Uco é a bodega Andeluna, uma vinícola com estilo rústico e um grande vinhedo com vista para as montanhas. Ela dispõe de bons vinhos e oferece diferentes tipos de degustação num ambiente agradável e aconchegante.

Outra sugestão é visitar a bodega Salentein, uma das mais famosas da região. Ela tem uma arquitetura arrojada, planejada nos mínimos detalhes e que mais parece um grande museu, com várias esculturas e pinturas espalhadas pelos ambientes. O tour é bem organizado e passa por todos os setores da empresa, incluindo os belos vinhedos, finalizando com uma degustação de vinhos numa sala especial próxima à adega.

Saiba mais sobre estas duas vinícolas no post “Mendoza: As vinícolas do Valle de Uco – Andeluna e Salentein“.

Uvas na Andeluna Cellars - Mendoza, Argentina

Uvas na Andeluna Cellars

Cava da Salentein - Mendoza, Argentina

Cava da Salentein vista do piso superior

 

Roteiro de três dias

Se você tiver apenas três dias para explorar a cidade, pode eliminar o dia 2 deste roteiro, visitando o centro da cidade no tempo que restar dos outros dias, ou então eliminar o dia 4 caso você não goste muito de visitar vinícolas. O passeio da montanha é imperdível e recomendo também pelo menos um dia inteiro para visitar vinícolas.

 

Cinco ou mais dias

Caso você fique vários dias em Mendoza, pode dedicar um dia para cada região produtora de vinho (Maipu, Luján de Cuyo e Valle de Uco) ou até mais de um dia para a mesma região, podendo assim conhecer muitas vinícolas. Pode também realizar todos os passeios e atividades que mencionei anteriormente no dia 2, como pedalar/cavalgar nos vinhedos, fazer um rafting nas águas do Rio Mendoza, visitar as Termas de Cacheuta, passear na Reserva Natural Villavicencio ou ainda conhecer o Canion de Atuel, que fica a cerca de duas horas da cidade.  Se quiser relaxar, alguns hotéis oferecem tratamento de SPA com viñoterapia. E se for inverno você pode também passar um dia em alguma estação de esqui, como a Las Leñas, que é a mais bem estruturada da região.

Vinhedos da Salentein - Mendoza, Argentina

Vinhedos da Salentein

 

Para finalizar este roteiro, veja no mapa a localização das atrações de Mendoza citadas neste roteiro.


Visualizar Mendoza em um mapa maior
 

 

Acesse o índice de posts com todas as dicas de Mendoza

 

 

Faça parte da comunidade “Meus Roteiros de Viagem”
Acompanhe o blog nas redes sociais FacebookTwitter e Google+
Siga o perfil @meusroteirosdeviagem no Instagram
e marque suas fotos com a hashtag #meusroteirosdeviagem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...