O Parque Nacional Aparados da Serra está localizado na fronteira do Rio Grande do Sul e Santa Catarina é um roteiro indicado tanto para aventureiros, pelas trilhas e pelos cânions, como simpatizantes do turismo rural, pelas cavalgadas e pelas fazendas. Neste post apresento a vocês os meus amigos Fernando e Anne, que fazem a primeira colaboração especial aqui para o blog, com um relato da viagem que fizeram para este local tão belo no Sul do país.

Cânion Fortaleza - Cambará do Sul / RS

Cânion Fortaleza – Cambará do Sul / RS

 

Veja também:
Roteiro de 3 dias em Gramado e Canela
Roteiro de 3 dias na Serra Catarinense
Roteiro de 4 dias em Balneário Camboriú
Roteiro de 5 dias nas praias de Florianópolis

 

* Texto e fotos a seguir por Fernando e Anne

 

Este é o relato de um final de semana em Aparados da Serra e nos dedicaremos a detalhar um programa para casais, com uma sugestão de roteiro para curtir o que há de mais romântico nesse passeio que, para nós, já pede bis.

 

Sábado – manhã

Saímos sábado pela manhã de Florianópolis em direção a Cambará do Sul. Neste sentido, além do caminho que percorremos, existem duas outras rotas principais para quem pretende ir de carro: pela BR-282 passando por São Joaquim (a rota mais longa) ou pela BR-475 passando por Criciúma. O trajeto que escolhemos inicia-se pela BR-101 Sul e possui aproximadamente 330 quilômetros de percurso, numa duração estimada de 5 horas. Há diferentes rotas entre as duas cidades, no final deste roteiro há um mapa apresentando as opções e destacando o nosso percurso.

O caminho escolhido é bastante tranquilo até a metade do trecho de subida da Serra do Faxinal que fica em Praia Grande, ainda em solo catarinense. A partir daí a estrada é de pedras com alguns trechos pavimentados. Interessante checar as condições dos pneus, se prevenindo para possível chuva, pois o terreno fica bastante escorregadio e com trânsito perigoso devido também à possibilidade de neblina. São raros os paradores nestes locais mais inóspitos, portanto vá preparado para a viagem com garrafinhas de água e algum alimento no carro.

Em Praia Grande procure a placa indicativa da Serra do Faxinal

Em Praia Grande procure a placa indicativa da Serra do Faxinal

Estrada de pedras no caminho via SC 405

Estrada de pedras no caminho via SC 405

As estradas são pavimentadas e bem sinalizadas até a Serra do Faxinal

As estradas são pavimentadas e bem sinalizadas até a Serra do Faxinal

 

 

Sábado – tarde

Pelo caminho que optamos, passamos primeiramente pelo Parque Nacional Aparados da Serra, porém como o final de tarde já se aproximava decidimos seguir para a nossa primeira parada, a Pousada Fazenda Recanto dos Amigos.

Chegando na cidade de Cambará do Sul via Trevo de Tainhas (RS-020), após passar pela única lombada existente, dobre na segunda rua à esquerda, a partir daí você percorrerá um pouco mais de três quilômetros em estrada de terra. A sinalização é boa, mas é importante ficar atento para não perder tempo com os retornos.

Entrada da Pousada Fazenda Recanto dos Amigos (foto de divulgação)

Entrada da Pousada Fazenda Recanto dos Amigos (foto de divulgação)

 

A primeira visão da Pousada Fazenda Recanto dos Amigos não é das mais promissoras. A aparência da casa principal é de que o barato pode ter saído caro, porém ao adentrar o local e sermos recepcionados pelos proprietários a sensação muda bruscamente. É um local aconchegante, bastante organizado (apesar de rústico) e muito familiar. Existe a possibilidade de se hospedar em cabanas externas ou em quartos na própria residência, optamos pela segunda (mais econômica). Os preços de hospedagem variam conforme a época do ano, mas são incomparáveis frente os cobrados nas demais hospedarias da região, pois o custo-benefício é um dos pontos altos da pousada.

Os quartos são simples, mas igualmente aconchegantes. A impressão é de se estar de férias no sítio de um familiar, sem luxo, mas muito à vontade. O café da manhã é simplório, mas garante uma refeição energética o suficiente para desbravar os Aparados da Serra. Na despedida o sentimento de que um dia poderíamos retornar.

Vista do quarto

Vista do quarto

A lareira na sala da residência aumenta a sensação de aconchego e facilita a interação entre os hóspedes

A lareira na sala da residência aumenta a sensação de aconchego e facilita a interação entre os hóspedes

 

As recomendações que deixamos são de visitar na pousada o “Cantinho da Pinga”, que oferece diversas opções de pingas com frutas, a lareira na sala, que garante aquela sensação de calor na fazenda, e também fazer uma sessão de fotos na área externa da fazenda, que conta com belas paisagens e um charmoso clima bucólico.

Cantinho da Pinga

Cantinho da Pinga

Belas paisagens e o charmoso clima de fazenda

Belas paisagens e o charmoso clima de fazenda

 

Sábado – noite

Buscando conhecer as opções gastronômicas no Centro de Cambará, em frente à praça do termômetro, nos deparamos com a Pizza Retrô, um local que chama a atenção primeiramente pela sua fachada que passa a sensação de estarmos voltando no tempo, parecendo uma pizzaria daquelas que víamos nos filmes sobre os anos setenta. Olhamos de fora e estava cheia, bom sinal, decidimos entrar para conferir.

Fachada da Pizzaria Retrô

Fachada e cardápio da Pizza Retrô (foto: divulgação)

 

Grata surpresa! Ao adentrar o lugar já nos deparamos com a decoração com vinis, iluminação convidativa e uma lareira na salinha de espera que possui confortáveis poltronas. O cheirinho da pizza nos deixou com água na boca. A pizzaria possui carta de vinhos simples, alguns não estavam disponíveis. O atendimento foi confuso por parte das garçonetes, mas bastante colaborativo por parte da proprietária que nos passou algumas sugestões de passeio pela região. A pizza é boa, possui preço justo, mas não é definitivamente o ponto alto do estabelecimento. Muito interessante os jogos americanos (descansos de pratos) serem vinis e a possibilidade dos clientes de selecionarem as músicas que serão tocadas em som ambiente nas bolachas disponíveis ao lado do toca-discos.

Lareira na sala de espera

Lareira na sala de espera

Vinis que funcionam como jogos-americanos

Vinis que funcionam como jogos-americanos

 

Após o jantar na Pizza Retrô, tomamos o caminho de volta para a Pousada. Lá chegando foi possível ainda degustar as cachaças coloniais disponibilizadas pelo estabelecimento e o vinho adquirido no Ponto de Cambará, um pequeno comércio na entrada da cidade, ainda na serra, com vinhos variados de bom custo/benefício, precificados entre R$ 12,00 à 20,00.

 

 

Está gostando das dicas?
Compartilhe-as com sues amigos nas redes sociais
utilizando os botões coloridos no canto esquerdo da tela

 

 

Domingo – manhã

O café da manhã na Pousada Recanto dos Amigos é bastante simples (caseiro) e possui opções limitadas, mas é muito saboroso e com certeza garante uma boa refeição matutina. Ainda há a possibilidade de realizar cavalgadas guiadas pela propriedade, mas como pretendíamos visitar os cânions e a região preferimos seguir viagem.

Dando adeus ao clima de fazenda, belas paisagens e agradáveis recordações

Dando adeus ao clima de fazenda, belas paisagens e agradáveis recordações

 

 

A nossa saída pela manhã foi para fazer a visita ao Cânion Fortaleza, distante 22 quilômetros do centro de Cambará do Sul, com acesso por uma estrada acidentada, porém ampla e com boa indicação de sinalização. Sugerimos verificar condições de visibilidade antes da partida para este destino para evitar deslocamento desnecessário, pois dependendo da situação o passeio torna-se inviável. No local, orientadores do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) prestam esclarecimentos e podem auxiliar na descoberta de trilhas e de capacidade de visibilidade dos recortes geográficos.

Nessa primeira tentativa não fomos bem sucedidos ,pois ao chegar na entrada da trilha, a neblina com a chuva fina e constante nos fez cancelar esta visita. Quando voltávamos ao carro fomos surpreendidos pelos pequenos graxains, uma espécie de raposa que vive naquela região, que animaram um pouco o momento de decepção.

Chuva fina e muita neblina na primeira tentativa de visitar o Cânion Fortaleza

Chuva fina e muita neblina na primeira tentativa de visitar o Cânion Fortaleza

Graxains são mamíferos da família dos canídeos, semelhantes a raposas

Graxains são mamíferos da família dos canídeos, semelhantes a raposas

 

 

Almoço de domingo

Ao longo do roteiro percebem-se muitas placas alusivas ao restaurante O Casarão Galeteria. Apesar de não sermos os maiores fãs de galeto, recebemos boas referências sobre o local e decidimos conferir se publicidade e qualidade andavam de mãos dadas.

Entrada do "O Casarão"

Entrada do “O Casarão”

 

O local é um grande Buffet, com salão amplo e que oferece ótimas opções de saladas orgânicas, massas caseiras variadas, além de porções de galeto e polenta na pedra servidos na mesa. Não degustamos, mas existe ainda a opção da sequência de filé de trutas. O local é aconchegante, com bom atendimento e custo-benefício. Nossa sugestão: solicite uma mesa próxima à lareira e peça um bom vinho tinto, sem pressa para retomar o passeio. O Casarão Galeteria abre abre suas portas no almoço e também no jantar.

Curtindo um bom vinho próximo à lareira

Curtindo um bom vinho próximo à lareira

 

 

Domingo – tarde

A tarde do segundo dia do final de semana iniciou-se com visita ao Cânion Itaimbezinho, que é a formação geológica mais famosa da região. Ele fica a dezoito quilômetros de distância do centro de Cambará do Sul e o acesso é por estrada de terra com muitas pedras e pouco sinalizada.

Esta atração da natureza também é gerenciada pelo ICMBIo e,diferentemente do Cânion Fortaleza, apresenta uma estrutura de recepção de visitantes de boa qualidade,porém internamente abandonada. Um solitário atendente aguardava os turistas com material de divulgação precário e alguma disposição em auxiliar o passeio.

A neblina dominou a vista, mas não impediu o passeio

A neblina dominou a vista, mas não impediu o passeio

 

Como neste momento a neblina dificultava a visibilidade optamos por apenas seguir a Trilha do Vértice, que sai do centro de visitantes e com direção à borda do cânion, num percurso que leva em média uma hora e é de fácil acesso. Existem trilhas que levam o visitante para dentro do cânion, porém são mais complicadas e exigem maior tempo disponível. Para estas trilhas, sugere-se acompanhamento de guias especializados.

Trilhas bem estruturadas e bons mirantes auxiliam a visitação no Cânion Itaimbezinho

Trilhas bem estruturadas e bons mirantes auxiliam a visitação no Cânion Itaimbezinho

 

Uma verdadeira pena não podermos ter desfrutado das vistas disponíveis para sessões de fotos e momentos de contemplação. Fica a pendência para ser riscada numa próxima visita a Aparados da Serra.

A beleza das fotos de divulgação nos fazem programar nova visita a Cambará para presenciar a beleza do Itaimbezinho

A beleza das fotos de divulgação nos fazem programar nova visita a Cambará para presenciar a beleza do Itaimbezinho

 

 

Hospedagem em Cambará do Sul

Neste dia nosso local de descanso foi o Parador Casa da Montanha Ecovillage, localizado às margens da Estrada do Faxinal (RS-429).

A chegada ao local é extremamente acolhedora, com os colaboradores vestidos de acordo com a temática proposta pelo empreendimento e combinando com as cabanas sul-africanas. Eles nos recebem com bastante entusiasmo e uma taça de espumante. O Parador é muito bem decorado e a vista da entrada é um convite para o relaxamento e para desligar-se da rotina de trabalho.

Por termos entrado no fim da tarde tivemos a opção de aderir ao chá da tarde, que pode ou não estar incluso na diária. Apesar de muito convidativo, preferimos ir para o quarto e conhecer as instalações do hotel, ciceroneados por um dos gentis funcionários.

Cada cabana possui o nome de um cânion da região dos Aparados da Serra

Cada cabana possui o nome de um cânion da região dos Aparados da Serra

 

Com a base das suas construções principais feitas com pedra e voltadas para o rio, o Parador interliga as suas cabanas através de uma grande plataforma de decks. As barracas suítes, também em forma de cabanas, garantem privacidade suficiente para um romântico banho de jacuzzi voltado para o rio. Nesta modalidade de acomodação, o visitante ainda possui banheiro privativo e um quarto bastante aconchegante.

As outras opções de hospedagem são: a suíte superior, uma espécie de chalé privativo, que além da jacuzzi possuí lareira; e a barraca luxo, que é semelhante à barraca suíte, porém menor, sem jacuzzi e, pasmem, sem chuveiro (!!!), com uma Casa de Banho coletiva com ótima estrutura, mas imaginamos como deve ser desconfortável num inverno rigoroso. Os valores normais de diárias dentro das opções disponíveis variam de R$ 309,00 a R$ 1.015,20 fora da alta temporada. No período da nossa visita as suítes superiores estavam em obras. Para conhecer melhor o que elas oferecem sugerimos visita ao site do Parador que possibilita visão 360 graus dos ambientes.

Apesar de simples por fora as cabanas oferecem muito conforto no seu interior

Apesar de simples por fora as cabanas oferecem muito conforto no seu interior

Destaque para a decoração das suítes

Destaque para a decoração das suítes

As suítes e as barracas luxo são interligadas às áreas comuns por decks

As suítes e as barracas luxo são interligadas às áreas comuns por decks

Vista interna da suíte com destaque para o rio e a jacuzzi

Vista interna da suíte com destaque para o rio e a jacuzzi

 

 

Domingo – noite

O jantar no Parador é servido em horário pré-determinado e em mesas coletivas. Ele pode estar incluso no valor da diária (verificar as condições de compra) e a escolha do cardápio se dá no momento da entrada. Nós optamos pela inclusão e não nos arrependemos. Além do clima aconchegante do restaurante, a preparação pelo chef da casa e a apresentação dos pratos são alguns dos grandes diferenciais do local.

Na nossa visita tivemos de entrada um saboroso creme de ervilha, seguido do prato principal que era um risoto de pimentões e depois ainda teve a sobremesa, uma deliciosa torta de chocolate com cobertura de frutas vermelhas. Sugestão: peça um vinho que harmonize com o cardápio. Caso não conheça, solicite ajuda do sommelier da casa. Após o jantar, desfrute da coleção de DVD’s à disposição (não há televisão à cabo disponível), aproveitando a jacuzzi, a paisagem e a companhia.

Sobremesa no jantar do Parador, um dos pontos altos da estadia

Sobremesa no jantar do Parador, um dos pontos altos da estadia

 

 

Segunda – manhã

O café da manhã no Parador é bastante completo e é servido no mesmo ambiente do jantar. As opções variadas, com preparações no momento da refeição e utensílios combinando com a decoração, reforçam o sentimento de regressar ao Parador. Sugerimos após a refeição visitar as áreas comuns do hotel e fazer um passeio pela margem do rio, pois a bela vista rende boas fotos e muitas ideias para decoração.

Café da manhã no Parador

Café da manhã no Parador

Opções fartas e servidas com muita elegância no café da manhã do Parador

Opções fartas e servidas com muita elegância no café da manhã do Parador

Curtindo o clima agradável da serra

Curtindo o clima agradável da serra

A área externa do Parador permite bons passeios e belos cliques perto do rio

A área externa do Parador permite bons passeios e belos cliques perto do rio

 

 

Retorno ao Cânion Fortaleza

Ainda na segunda-feira pela manhã retornamos ao Cânion Fortaleza, desta vez com tempo aberto, boa visibilidade e a possibilidade de presenciar vistas incríveis e viver momentos de pura contemplação. Conforme já mencionado, neste cânion não há custo de entrada e ele fica localizado a 22 quilômetros do centro de Cambará do Sul.

É preciso caminhar pela Trilha do Mirante para acessar o ponto mais interessante de visualização do cânion, com vista também para o litoral e a divisa entre Santa Catarina e o Rio Grande do Sul. São 1.700 metros de caminhos pedregosos, e alguns pontos íngremes, porém de fácil percurso.

A Trilha do Mirante, com 1,7 km, é o caminho para a melhor vista do Canion Fortaleza

A Trilha do Mirante, com 1,7 km, é o caminho para a melhor vista do Canion Fortaleza

Ao longo do percurso é possível avistar e registrar belas visões dos cortes do Fortaleza

Ao longo do percurso é possível avistar e registrar belas visões dos cortes do Fortaleza

Foto com a GoPro no Cânion Fortaleza

Foto com a GoPro no Cânion Fortaleza

 

No trajeto existem bons pontos para fotos, portanto sugerirmos explorar bem cada passo. A excitação de chegar cada vez mais perto deste monumento natural é indescritível. O local e a ocasião são perfeitos para se estar com quem se gosta, e se estiver só, um convite à reflexão.

No mirante, que é apenas um local com visibilidade mais ampla, porém sem estrutura alguma, é possível enxergar a serra e o mar, entre eles o grande recorte geológico que impressiona pela sua dimensão e também pela beleza. As fotos no mirante são obrigatórias, boas câmeras garantirão belos flashes e eternizarão, com qualidade, este momento.

Registrando momentos inesquecíveis

Registrando momentos inesquecíveis

Cânion Fortaleza

Cânion Fortaleza

A vista no mirante natural é incrível

A vista no mirante natural é incrível

Cânion Fortaleza

Cânion Fortaleza

De um lado, a imponência do Canion Fortaleza

De um lado, a imponência do Canion Fortaleza

Do outro lado, a vista do litoral que divide Santa Catarina e o Rio Grande do Sul

Do outro lado, a vista do litoral que divide Santa Catarina e o Rio Grande do Sul

 

Na volta, o vento forte começou a nublar o local de forma muito rápida. Em alguns minutos a visibilidade se foi e o Cânion Fortaleza, novamente, se escondia dos visitantes. Neste momento tivemos a certeza que a persistência na volta ao cânion tinha valido muito a pena e que tínhamos tido muita sorte pelo horário escolhido.

Na volta, a neblina tomou conta do Cânion Fortaleza

A neblina tomou conta do Cânion Fortaleza

 

 

Retorno para Florianópolis

Depois da visita ao Cânion Fortaleza, chegou a hora de nos despedirmos de Cambará do Sul e suas estradas de terra, seus cânions e sua gente acolhedora, da simplicidade da Fazenda Recanto dos Amigos e da sofisticação do Parador. Voltamos felizes para casa, já planejando nova visita aos Aparados da Serra.

Sem dúvida!

Sem dúvida!

 

 

Finalizamos este relato com um mapa que mostra o trajeto que percorremos, partindo de Florianópolis, e com a localização dos cânions e dos locais nos quais ficamos hospedados.

 

 

 

* Este post foi escrito pelo Fernando e pela Anne, meus colegas que dedicaram um tempo extra em suas rotinas diárias para produzir este ótimo relato da viagem que fizeram há poucos meses. Agradeço ao casal por esta colaboração especial!

 

Você já esteve em Aparados da Serra? Como foi o seu passeio na região?
Deixe seu comentário no final deste post!

 

 

Posts Relacionados:
Roteiro de 3 dias em Gramado e Canela
Como chegar a Gramado e Canela e estrada da Rota do Sol
Roteiro de 3 dias na Serra Catarinense
O Mirante e a Estrada da Serra do Rio do Rastro, na Serra Catarinense
Urubici – Morro da Igreja, Pedra Furada e Cascata Véu de Noiva
Um passeio em Urupema: o Morro das Antenas e a Cascata que Congela
São Joaquim – Degustação de Vinhos na Vinícola Villa Francioni

 

Faça parte da comunidade “Meus Roteiros de Viagem”
Acompanhe o blog nas redes sociais FacebookTwitter e Google+
Siga o perfil @meusroteirosdeviagem no Instagram
e marque suas fotos com a hashtag #meusroteirosdeviagem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...